(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Convênio nega por três vezes cirurgia bariátrica a professor com 177 kg

Descaso

23 OUT 2013
Marithê Lopes
12h00min
Foto: Arquivo Pessoal

Um impasse está causando muita dor de cabeça para o professor universitário Fabrício Bazé que está com o Índice de Massa Corpórea (IMC) de 56,76, considerado super obeso. Ele precisa realizar uma cirurgia bariátrica, mas seu convênio médico particular, Unimed,  não libera a cirurgia. Pesando 177 kg, Fabrício convive com o problema e já teve o seu pedido de liberação negado três vezes pela Unimed de Campo Grande.

 

O professor já reuniu toda a documentação necessária para a operação, fez cerca de 38 exames e teve sete laudos de especialistas que alegaram que a melhor saída para o seu problema é realizar a cirurgia o quanto antes. Ele paga o convênio médico desde novembro de 2012, mas não consegue autorização para a cirurgia. O Ministério da Saúde aponta que quase metade da população brasileira está acima do peso. O estudo revela que o número de obesos é crescente e, em cinco anos, o aumento foi de quase 5%.


"O principal motivo que eu estou me conduzindo a fazer a cirurgia são pelas doenças que estão sendo ocasionadas por conta da obesidade. Já estou pré-diabético, tenho problema com a circulação sanguínea nas pernas, todos os médicos que eu me consultei indicaram a cirurgia como a melhor saída", comenta Fabrício.

 

Lei
De acordo com o Superior Tribunal de Justiça (STJ) as operadoras de saúde não podem se recusar a fazer cirurgias bariátricas, conhecidas como de redução do estômago. O entendimento é da Quarta Turma do STJ. “Não pode a entidade prestadora dos serviços de saúde se recusar a autorizar e arcar com as despesas relativas ao tratamento de obesidade mórbida, que não possui fins estéticos, mas alerta para riscos à saúde da paciente, sob o fundamento de negativa de cobertura contratual”, entendeu o tribunal.


A reportagem entrou em contato com a assessoria da Unimed para solicitar uma posição da instituição sobre o caso e até o presente momento alegaram que a liberação da cirurgia d Fabrício continua negada. Mais de 25 mil internautas acompanham a história de Fabrício pelo blog Diário Fitness onde ele relata o passo a passo da preparação para a cirurgia que deveria ter sido realizada dia 21 de outubro, desta semana.

 

"Estou inteiramente chateado, psicologicamente abalado e decepcionado, pois, tenho lutado muito, investido tempo e dinheiro para conseguir meu objetivo. Minha próxima tentativa é apelar a para a Justiça. Estou muito indignado, pois houve muitos momentos que fui mau atendido pela Unimed no setor de liberação, e eles me mandaram uma resposta dizendo que o meu problema é pré-existente e que eu tenho que aguardar até novembro do ano que vem. Minha vida vale muito para eu parar e desanimar, ainda não desisti", declara Fabrício. 

Veja também