(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Mercadão: palco de grandes histórias e personagens marcantes

Mercadão

17 NOV 2013
Marithê Lopes
06h00min
Foto: Marithê Lopes

Manhã de domingo. 17 de novembro, muitas pessoas circulavam por todos os lados pelos cinco corredores extensos compostos pelas bancas e boxes, doces caseiros, licores, ervas, grãos, cores, sabores, artesanatos, rapaduras, camisetas, artigos para pesca, frutas, verduras completam o cenário do Mercadão e que encanta a todos que passam por ali. Os cheiros que se misturam formam o perfume do Mercado Municipal Antônio Valente, o Mercadão de Campo Grande.

 

Os personagens principais dessa história são os que trabalham todos os dias e há muitos anos fazem com que a trajetória do Mercadão seja tão promissora. “É muito bom trabalhar aqui, a melhor coisa pra mim. Todos se dão bem, formamos uma irmandade”, confessa dona Teresa Shimabukuro que trabalha no Mercadão há 25 anos vendendo raízes e ervas medicinais.

 

Basta andar pelos corredores pra perceber que o público que circula traz no olhar a curiosidade de conhecer cada característica do Mercadão. Dentre muitos, os visitantes Bernardo Martins e Tobias Schimit passeiam por todo o espaço e desfrutam de cada pedaço do Mercadão. “Moro em Campo Grande a 30 anos e trouxe meu amigo alemão Tobias para conhecer um dos cartões postais da cidade”, explica Bernardo. Arranhando um português o gringo diz que gosta de sentir o ambiente do Mercadão. “Estou muito bem aqui e quero comprar lembrancinhas”.

 

História

O atual prédio do Mercado Municipal Antônio Valente foi inaugurado em 30 de agosto de 1959. O Mercadão nasceu a partir de uma feira livre que era realizada na área onde hoje está localizado o seu estacionamento. O terreno para a construção do centro comercial foi doado à prefeitura por um dos feirantes, Antônio Valente, que como homenagem acabou dando nome ao prédio.

 

As obras de construção do prédio começaram em 1958 e o espaço foi entregue aos comerciantes um ano depois. No começo eram vendidas no Mercadão apenas frutas, verduras, legumes e carnes. Com o passar do tempo, os comerciantes começaram a diversificar a oferta de produtos. Hoje, nas 144 bancas e 79 boxes são comercializadas desde ervas medicinais, passando por queijos, doces, artesanato, bebidas típicas, frutas, legumes, verduras, carnes, peixes, pasteis, salgados, sucos, entre outros produtos.

 

Entre os símbolos do Mercadão estão os pastéis. A estimativa é que por dia sejam comercializados 700 pasteis no local e, apesar das inovações nos sabores, como de pizza, banana e goiabada, jacaré, pastel de pacu, os mais vendidos continuam sendo os de carne e de queijo.

Veja também