(67) 99826-0686
PMCG Novembro

No setembro azul, professor comemora conquistas pra inclusão de surdos-mudos em MS

Segundo o intérprete, libras se tornou disciplina curricular e cobrança para implantação da regra deve aumentar neste ano

15 SET 2018
Dany Nascimento
13h30min
Foto: André de Abreu

O mês de setembro tem um significado especial para pessoas com deficiência auditiva  e 2018 deve ser um dos anos mais comemorados por aqueles que fazem parte do mundo silencioso. No dia 30, é comemorado o Dia Internacional do Surdo e o do Profissional Tradutor e será motivo de festa para um professor de Campo Grande, que passou a ‘rir para os quatro ventos’.

Professor tradutor e intérprete, Valdir Balbueno, 40 anos, distribui sorrisos ao falar da aprovação da Lei 10.436, que rege o decreto 5626, onde libras passou a ser considerada como língua oficial no Brasil. Ele destaca que o Poder Público vem cobrando o cumprimento da legislação para a inclusão de libras em todas as disciplinas curriculares e isso é um grande passo para o desenvolvimento de pessoas com deficiência auditiva.

“O Brasil fez acordo com ONU de se tornar país bilíngue. Libras ficou reconhecida como língua oficial e língua materna da comunidade surda brasileira. Ficou reconhecida como meio legal de comunicação e, a partir daí, as universidades, escolas, deveriam promover aceleração de inclusão de libras como disciplina curricular”, explica o professor.

Segundo Valdir, o cumprimento ainda não ocorre por completo no Estado por falta de profissionais. “Ainda não temos em todas as universidades e escolas, mas a lei existe e, a partir deste ano, as universidades passarão por esse processo de aceleração, de cobrança da lei. Aqui em Mato Grosso do Sul foram criados concursos públicos para tradutores intérpretes nas universidades. A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul já tem concurso público para surdos e tradutores intérpretes. A partir disso, já entendemos que, por meio delas, já tem a disciplina língua brasileira de sinais. Todos acadêmicos deverão, em sua formação, ter libras como disciplinas, em todos os cursos”.

O tradutor destaca que, em todas as áreas, as pessoas devem aprender a lidar com pessoas com deficiência auditiva. “Quando o aluno vai para se formar em um curso, ele precisa entender que independente da sua área de formação, ele pode se deparar com uma pessoa surda”.

Valdir ressalta que o mundo dos surdos é completamente diferente dos ouvintes. “Surdos são diferentes na comunicação, eu falo com o meio de comunicação pela boca, os surdos por meio das mãos. Eu ouço pelo ouvido, como eles não ouvem, eles veem pelos olhos. Eu percebo o mundo com minha audição, eles pela visão. São meios diferenciados, mas colocam eles no mesmo sentido de igualdade quando são respeitados pelo meio de comunicação”.

Para Valdir, o surdo se sente respeitado ao ter acesso a um tradutor. “Falamos de sentidos diferentes, porém, eles têm esse processo comunicativo que deve ser respeitado de forma igualitária. Quando a faculdade cumpre seu papel de formar e dar igualdade, o surdo se sente respeitado e motivado para enfrentar uma universidade porque ele terá acesso de igualdade com tradutor garantido que faz a ponte de comunicação entre o professor e o aluno surdo. Antes era difícil os surdos entrarem na universidade porque não havia centros especializados. Ele ia para instituição e ficava na instituição. Com isso, ele entende que não é até o 5° ano, entende que ele pode ir para universidade”

Orgulhoso, o professor relembra alguns alunos que hoje se destacam no país. “Aqui temos Adriano de Oliveira, foi meu aluno do 7° ao 9°ano, hoje ele faz doutorado e é representante da Feneis em MS, ele é concursado e é surdo. As portas são abertas e dão direito de comunicação por meio da sua língua. Shirley Vilhalva também é destaque. Em 2018 tivemos ganho muito significativo. Anteriormente não tínhamos centros de formação, hoje temos lugares que ofertam a língua de sinais, pelo governo, oferecem cursos para novos interpretes, pela prefeitura também temos cursos gratuitos para professores de línguas de sinais".

Setembro Azul

Nomeado de “Setembro Azul”, o mês é repleto de datas importantes. No dia 10 é comemorado o Dia Internacional da Língua de Sinais, 21 é o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, dia 26 é o Dia Nacional dos Surdos (conforme a lei nº 11.796 de 29 de outubro de 2008) e no dia 30 é comemorado o Dia Internacional do Surdo e o do Profissional Tradutor.  

Veja também