(67) 99826-0686
PMCG Novembro

Acusado de omissão de socorro em UPA, médico denuncia bombeiro por abuso de poder

Clínico-geral registrou boletim de ocorrência relatando sua versão de caso que parou em delegacia na Capital

15 SET 2018
Amanda Amaral
11h02min
Foto: Wesley Ortiz/Arquivo TopMídiaNews

O médico Thiago José Maksoud Machado, 31 anos, acusa bombeiro de abuso de poder ao ser levado a delegacia após não atender paciente encaminhada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Universitário, em Campo Grande. Ele justifica que não teve escolhas ao solicitar a transferência da vítima a outra unidade de saúde, devido a superlotação do local. 

Em boletim de ocorrência, o médico clínico-geral do setor de emergências comunica que estava de plantão na noite de quinta-feira (13), momento em que a viatura do Corpo de Bombeiros conduzia a vítima com problemas na coluna, através da Central de Regulação do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O médico relata que logo após a chegada da paciente, foi informado por um enfermeiro que a unidade estava lotada, sem condições de atender mais pacientes.

Em sua defesa, o profissional afirma que uma técnica de enfermagem informou a situação ao militar do Corpo de Bombeiros que realizou o transporte, João Paulo Ribovisck, mas o mesmo teria se negado em redirecionar a paciente a outra unidade de saúde. O militar teria sugerido que a própria unidade realizasse o transporte, e questionou ao médico se ele se negava a atender a vítima.

O bombeiro relatou que ele deveria ter sido comunicado pela Central de Regulação, fato que não aconteceu. Os militares também destacaram que, para o redirecionamento da vítima, o médico deveria efetuar a avaliação do paciente, o que também não foi feito.

O médico diz ter explicado o problema da falta de capacidade a mais atendimentos naquele momento, ainda assim, o militar optou por encaminhá-lo a delegacia policial por omissão de socorro. Thiago chegou a ser levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga e o paciente conseguiu atendimento em outra unidade de saúde.

Veja também