(67) 99826-0686

Aos 6 anos, Ana precisa de órtese para continuar tratamento e mãe pede ajuda para comprar

Acessório custa R$ 500, mas com o pai desempregado, menina corre o risco de perder cirurgia

10 NOV 2017
Liziane Berrocal
15h10min

A pequena Ana Lívia nasceu com uma anomalia de nome difícil chamada artrogripose congênita e, com isso, tem os pés e mãos tortos. Apesar disso, ela é uma criança bem feliz como todas as outras. E na busca de correção dos problemas causados pela artrogipose, recentemente, fez uma cirurgia de correção no pé direito e está usando gesso, mas para dar continuidade ao tratamento, ela precisa de uma órtese suropodalica sem articulação.

“Já procurei a APAE onde há órteses, mas lá me explicaram que, para fazerem uma órtese, o pé dela teria que estar a 90° e só com essa órtese que vamos conseguir”, conta Joana Paula de Araújo, 31 anos, mãe de Ana Livia.  

O problema é que o acessório tem valor de R$ 500 e a família precisa de ajuda para comprar. “Isso é que vai dar a continuação no tratamento. Custa R$ 500 reais e eu não posso comprar. Se ela não usar essa órtese, ela pode perder a cirurgia”, explica.

Segundo ela, desde que a menina nasceu sempre houve dificuldades para o tratamento no sistema público. “Logo ela vai tirar o gesso e os gastos com o tratamento dela são muitos. Tenho que pagar transporte, medicamentos, tenho outros filhos e custos do dia a dia deles”, contabiliza lembrando  que ainda tem que se dividir com a filha de 12 anos e um menino de três anos.

No momento, o esposo dela está desempregado. “Fazemos bicos, tentamos de todos os jeitos, mas o que ganhamos dá para o básico”.

Quem quiser ajudar é só ligar no (67) 99310-3602 ou entrar em contato com a redação do TopMídiaNews

Veja também