(67) 99826-0686
PMCG Novembro

Quem não gosta de rodeio alerta que diversão precisa respeitar segurança do animal

Entrevistados até confessam participar de rodeios, mas dizem que atração é a festa e não o esporte

14 JUL 2018
Anna Gomes
11h30min
Franco diz que quem aprova rodeio não tem coração. Foto: André de Abreu

“O ser humano adora falar que é contra a violência, mas eles vivem agindo de forma contrária ao que dizem. Diversão envolvendo animais não é legal”, esse foi o desabafo de um dos entrevistados pelo TopMídiaNews, que conversou com a população campo-grandense para saber se o rodeio é aprovado ou não por quem mora na Capital de Mato Grosso do Sul.

Entrer os questionados pela reportagem, as respostas são unanimes e praticamente todos os entrevistados são contra existir rodeio devido aos sofrimentos que os animais enfrentam para divertir uma plateia que acha tudo aquilo bonito.

Mesmo com várias pessoas não sendo a favor dessas festas, não é muito difícil esses eventos acontecerem em Mato Grosso do Sul. Nesta semana, um peão morreu após ser pisoteado por um touro em um rodeio que aconteceu na cidade de Paranaíba.

(Capoeirista acredita que já pssou da hora de barrarem os maus-tratos com os animais)

Por que esses eventos lotam tanto? Pelo qual motivo a população prestigia? São os shows dos artistas que entram no ‘pacote’ com os rodeios? Conforme os entrevistados, falta um pouco de conscientização de quem frenquenta.

Segundo o aposentado Franco Freitas, de 57 anos, o povo precisa entender que o rodeio não é uma diversão, apesar de gerar alguns empregos.

“É uma maldade com os animais e acredito que os touros sofrem muito. Som alto, barulho e além de tudo são amarrados’’, disse.

O vendedor Carlos Ferreira de 32 anos, diz que muitas pessoas vão a esses eventos pelos shows dos artistas e não para ver o rodeio. “Confesso que já fui, mas era porque tinha um cantor que eu gostava. Na verdade, acho que pouca gente liga para o touro, ninguém lembra’’, destacou.

Maurílio Neto, 53 anos, também é contra esse evento e acha que essa cultura tem que acabar. “Acho isso uma bobeira, tem que acabar assim como fizeram com os circos, os animais não fazem mais parte daquilo”, lembrou.

(Idoso afirma que rodeio é como voltar no tempo e o povo precisa evoluir)

O aposentado José Avancini, de 83 anos, destaca que antigamente ninguém dava muita importância para saber se o animal estava sofrendo. Hoje em dia muita coisa mudou, e o idoso diz estar feliz com a mudança. “Rodeio é um retrocesso, ainda bem que as coisas evoluem e acho que precisa acabar”.

Veja também