(67) 99826-0686

Após reportagem do TopMídia, reclamações aumentaram e Educação alega de déficit de 6 mil vagas

Situação no setor é de total caos em Campo Grande

14 FEV 2017
Liziane Berrocal
16h34min

Após o TopMídiaNews mostrar o drama das mães que não conseguem informações sobre vagas nos centros de educação infantil, outras mães procuraram a reportagem para reclamar da falta de informações e de clareza nos critérios para a lista de espera. Ou o que é pior, até mesmo descobrir, mesmo depois de todo o processo, que o nome não está na lista de espera. 

Esse foi o caso de Valéria Giolo. Como a filha nasceu prematura, no começo ela deu um jeito de trabalhar meio período e ficar mais tempo com a criança, mas as coisas começaram a apertar ela precisou buscar o Ceinf.  

“Cadastrei a Isabela na Semed em outubro de 2016, parece pouco tempo para quem está há um ano ou mais nessa lista, mas no meu caso eu me cuidei porque havia datas e planejamento  no calendário distribuído por eles e essa data seria dia 13/02 a designação. Eu pensei quanto antes eu fizer o nome da Isa vai sair ou ela vai ficar na lista de espera”, conta ela. Ela inclusive ligou na Secretaria Municipal de Educação. Porém, não foi isso que aconteceu.

“Nem isso ocorreu, já que simplesmente na data de 13/02/2017 eles alteraram todas as informações do site dizendo que desde 07/01 estão ligando para os pais. Como assim? Me planejei, acompanhei o site e as informações e do nada eles tiram? Liguei no Ceinf e nome da minha filha não consta nem na lista de espera?”, questiona ela revoltada apresentando os prints das telas das datas disponibilizadas pela Semed. 

Já Andreza Lima, cansou de esperar. “Meu filho tem três anos agora em março faz quatro coloquei ele na lista quando ele não tinha nem feito dois anos. Até hoje não consegui vaga. Sempre ligava para saber como estava a lista de espera, e na última vez que liguei ele tava na posição 14. No entanto, com a mudança, esse ano ele é obrigado por lei estar estudando ai o pessoal da Semed disse q esse ano ele entrava, porém, não quis correr mais o risco, e consegui uma vaga numa escolinha aqui perto de casa pra ele, apesar de filantrópica paga uniforme e material e tive que arrumar dinheiro onde não tinha, mas preciso trabalhar”, lamenta. 

Déficit de quase seis mil vagas

Em contato com a prefeitura, a informação é que os pais que já realizaram o cadastro dos filhos para uma vaga em algum Ceinf, devem aguardar o telefonema dos técnicos da Central de Matrículas em casa. 

“Não há necessidade de se dirigir pessoalmente até a Central”, garante a nota. Segundo as informações, atualmente a lista de espera para uma vaga nos Ceinfs tem média de 12 mil crianças. Desse total, a Reme oferece este ano 6.215 vagas para a educação infantil. 

De acordo com a Prefeitura, as vagas estão sendo designadas desde o dia 2 de janeiro. Por dia, estão sendo designadas média de 200 vagas. No total, entre os dias 2 de janeiro a 13 de fevereiro, já foram designadas 1.832 vagas para crianças na lista de espera dos Ceinfs.

Porém, quem quer cadastrar o filho na lista de espera, precisa ir pessoalmente. Para cadastrar o filho na lista de espera do Ceinf é necessário se dirigir pessoalmente até a Central de Matrículas, que fica na Semed. 

Serviço
A Semed está  localizada na Rua Onicieto Severo Monteiro, 460, Vila Margarida, munido de todos os documentos pessoais e certidão de nascimento da criança. O telefone para esclarecimento de dúvidas é o 0800 6151515.

Veja também