vanessa
IPVA jan 2018
(67) 99826-0686

Banco desrespeita tempo de espera e deixa idoso 'mofando' na fila para atendimento

Cliente conta que diversos idosos passaram mais de duas horas esperando na fila

13 JAN 2018
Dany Nascimento
09h30min
Foto: Varnone Tavaleira/Google Maps

Pela lei, a espera em filas de bancos deve ser de 20 minutos em dias normais, ou 30 minutos em vésperas e após feriados. Mas não é bem isso que acontece na prática. Revoltado ao ver o cunhado de 64 anos aguardar mais de duas horas para ser atendido no Banco do Brasil, da Avenida Júlio de Castilho, um leitor do TopMídiaNews relatou o descaso que o cliente sofreu, alegando que a lei de prioridade ao idoso não é cumprida em Campo Grande.

“Ficamos mais de duas horas esperando atendimento. Eles viram que tinha bastante idoso esperando, meu cunhado tem 64 anos, agora imagina os outros. Tinha idoso de mais de 80 anos esperando. Se fosse vinte minutos, tudo bem, mas não, ficamos mais de duas horas aguardando”, conta o leitor.

Ele destaca ainda que o cunhado tentou utilizar o banheiro da agência, mas foi informado que o local estava interditado. “Isso é um absurdo, as pessoas precisam utilizar o banheiro e simplesmente informam que foi interditado. Falamos como eles trabalhavam sem banheiro, aí informaram que tinha um banheiro só dos funcionários e então tiveram que liberar, mas isso porque ficamos irritados, porque se não, ficaríamos ali aguardando atendimento demorado e com vontade de ir ao banheiro”.

Leitor guardou a senha utilizada - Foto: Repórter Top

De acordo com o leitor, o cliente seria de Dourados e precisou ir até a agência porque teve a conta bancária bloqueada. “A conta simplesmente foi bloqueada sem motivos e enfrentamos todo esse caos. Não adianta, a prioridade ao idoso teria que fazer parte da educação das pessoas, mas aqui no Brasil, para alguém tentar cumprir algo tem que virar lei e, mesmo com lei, as pessoas não cumprem, é uma vergonha”. 

Procon

O titular da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS), Marcelo Salomão, classificou o ocorrido como 'absurdo' e garantiu que as fiscalizações serão intensificadas.

“Isso é um absurdo, o banco precisa respeitar a lei tanto para fila preferencial como a do limite de tempo para atendimento. Iremos intensificar as fiscalizações. Não podemos ficar inertes aos abusos praticados e a denúncia é fundamental para agirmos, pois assim podemos fiscalizar e autuar se for o caso. No ano de 2017 fizemos 77 autuações em agências bancárias e iremos reforçar ainda mais esse ano, até que as leis consumeristas sejam respeitadas”.

Banco do Brasil

Tentamos contato com o Banco do Brasil, que até o fechamento desta matéria não encaminhou resposta.

Veja também