(67) 99826-0686

Quase dois anos depois, casas de ex-moradores da Cidade de Deus ficam só na promessa

A garantia era de conclusão dos serviços em 90 dias, no entanto, um ano e oito meses depois, nada foi feito

12 NOV 2017
Anna Gomes
07h00min
Foto: André de Abreu

Mais de um ano após a desocupação da maior favela de Campo Grande, a Cidade de Deus, moradores reclamam que as casas prometidas pelo ex-prefeito Alcides Bernal (PP) ainda não foram construídas. Na época das mudanças, o então chefe do Executivo prometeu a conclusão dos serviços em 90 dias, mas mesmo na atual gestão, nada foi concretizado ainda.

Enquanto o sonho da casa própria não vira realidade, a população sofre com o medo das chuvas, que na maioria das vezes, deixa dezenas de famílias desabrigadas, principalmente no Bom Retiro, um dos lugares onde os ex-moradores da Cidade de Deus foram transferidos.

O aposentado Carlos de Souza, de 70 anos, relatou que já viu seu  barraco ser destelhado e que a casa própria é um sonho cada vez mais distante.

"Eu não tenho crianças em casa, por isso acredito que existem pessoas em uma situação pior do que a minha. Já vi mãe sair na chuva com três filhos pequenos. Acho isso um descaso, já que nos prometeram algo e não cumpriram", disse o idoso.

A diarista Cristina dos Santos, de 55 anos, diz que algumas casas que estão quase concluídas foram erguidas pela própria população, ou por doações, mas totalmente sem ajuda da prefeitura.

"Algumas casas, apesar de poucas, estão quase prontas, mas são de pessoas que conseguiram subir um tijolinho aqui, outro ali. O difícil e o que os políticos não entendem é que aqui moram pessoas extremamente humildes, algumas com várias crianças e realmente ficam sem condições. O combinado era outro", afirma.

Para Kátia de Souza, de 40 anos, que morou na Cidade de Deus há quase uma década, o sonho de uma residência apesar de estar distante, uma hora ainda vai chegar.

"Aqui pagamos água, luz e precisamos comer. Quando nos colocaram aqui, falaram que nossas casas ficariam prontas em no máximo 90 dias, o prazo já passou dos limites e até agora nada. Não reclamamos da gente pagar as contas, mas sim da gente cumprir com a nossa palavra e eles não cumprirem com as deles", destacou.

Cidade de Deus

A desocupação da Cidade de Deus começou no dia 7 de março do ano passado. Os moradores seguiram para quatro pontos da cidade. Além do Bom Retiro, também foram transferidos para o Vespasiano Martins, Jardim Canguru e no Dom Antônio.

Veja também