FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
Lets segurança

Ceinf cria parque com brinquedos que exploram os sentidos dos alunos

Batizado de Parque Sensorial, a proposta da professora é intensificar e impulsionar o desenvolvimento motor e cognitivo das crianças

9 AGO 2017
PMCG
18h39min
Foto: PMCG

Brinquedos musicais colados no muro, teclados de computador, CDs pendurados e até um circuito de trânsito organizados em um espaço externo, logo na entrada do Ceinf (Centro de Educação Infantil) Serradinho, despertam a curiosidade das crianças e até dos adultos, que não resistem e pedem para conhecer de perto a ideia da professora e psicopedagoga Gisele de Araújo.

À primeira vista, a reunião de materiais tão diferentes em um mesmo local parece não fazer muito sentido, porém basta uma observação mais detalhada para ver que tudo foi pensado e disposto de forma a explorar a visão, audição, tato e até o paladar e o olfato, já que o espaço é próximo a árvores frutíferas.

Batizado de Parque Sensorial, a proposta da professora é intensificar e impulsionar o desenvolvimento motor e cognitivo das crianças, que tem à disposição pneus colados no chão com diversas texturas dispostas na parte superior e tronco de árvores, onde os pequenos podem desenvolver o tato, arcos com fitas coloridas e uma cortina de CDs, que refletem a luz do sol no chão, aguçando a percepção visual e painéis com instrumentos musicais, garrafas e utensílio de cozinhas para despertar a audição.

O espaço é fruto da união entre professores e comunidade, que se uniram para providenciar os materiais e executar o projeto, que atende a proposta pedagógica elaborada pela Secretaria Municipal de Educação.

Gisele explica que o Parque Sensorial foi planejado a partir de um estudo pedagógico e que vai além de explorar os sentidos. Um exemplo é o muro onde foram fixados diversos teclados de computador que possibilitam o contato com as letras do alfabeto ao mesmo tempo em que os alunos podem tatear o material e as teclas.

“É possível trabalhar todas as disciplinas, como matemática, língua portuguesa e até a socialização e regras, já que os alunos precisam aguardar o amigo terminar de brincar com alguns objetos para utilizá-los”, disse.

Como a área externa do Ceinf é grande, ainda foi possível elaborar um espaço com chuveiros, uma casinha de bonecas, onde acontece a contação de histórias e uma parede com azulejos, onde os pequenos soltam a imaginação desenhando.

“A proposta é criar alternativas para a aprendizagem de uma forma lúdica e divertida desenvolvendo assim as habilidades e percebendo como usar seus sentidos de forma completa, experimente um pouco de tudo”, afirmou Gisele.

No parque, as crianças tem contato com diferentes materiais que ajudam os professores a trabalhar as habilidades motoras, lateralidade, interação e medidas de decisões.

Para a diretora do Ceinf, Cilce de Moraes, o projeto foi importante também para aproximar os pais da rotina das crianças. “Sempre buscamos em nossos projetos trazer a família para a escola. É importante explicar como passamos os conceitos para os alunos”, ressaltou.

Veja também