FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
Word Wine - almoco japones

Com novos itens, merenda escolar de 2018 para alunos da rede municipal está garantida

Conforme a Prefeitura de Campo Grande, gastos com alimentação escolar do próximo ano devem ser de R$ 21 milhões, estoque para durar todo o ano letivo

5 OUT 2017
Redação
14h43min
Foto: Reprodução/Semed

Os 101 mil alunos da Reme (Rede Municipal de Educação) começarão o ano letivo de 2018 com a merenda garantida. Para isso, a prefeitura está concluindo licitações que irão garantir a aquisição de produtos secos e proteínas para as escolas e Ceinfs (Centros de Educação Infantil). As compras estão sendo programadas para atender as unidades durante todo o período de aulas do próximo ano. O orçamento previsto para gastos com alimentação escolar em 2018 é de R$ 21 milhões, sendo R$ 11 milhões oriundos de repasse do FNDE.

A licitação para compras de proteínas, como carne bovina e frango, já foi realizada através da modalidade licitatória do pregão com formulação para ata de Sistema Registro de Preços. Serão adquiridos diversos tipos de produtos, como carne bovina moída (patinho), acém em cubos, filé de merluza, sassami de frango e coxa e sobrecoxa.

O processo de licitação para compra de gêneros alimentícios secos já está sendo finalizado e se encontra na fase de assinatura contratual com a empresa vencedora do certame.

Na lista de compras estão produtos como alho triturado; biscoito tipo Maria; rosquinha de coco; farinha láctea; pó para o preparo de bebida láctea sabores: chocolate, morango e salada de frutas; adoçante dietético; colorau; farinha de trigo; açúcar; arroz; extrato de tomate concentrado; feijão; macarrão; óleo de soja e margarina. Ao todo, 58 itens compõem o processo de licitação de carga seca.

Quanto aos hortifrutigranjeiros, a chamada pública número 01/2017 também foi concluída e os produtos já estão sendo entregues nas escolas, contemplando 119 produtores da agricultura familiar.

Foram comprados banana nanica; batata doce; beterraba; cenoura; mandioca crua com casca; melancia; poncã; repolho verde; tomate; abobora paulista; abobora verde; banana maçã; cebolinha; cenoura; couve; laranja; mamão formosa; salsa e alface crespa.

As chamadas públicas para hortifrutigranjeiros obedecem ao PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) que determina que as redes de educação municipais devem incrementar o cardápio com gêneros alimentícios produzidos na região, beneficiando a agricultura familiar e os empreendedores rurais.

Itens novos

Produtos garantidos na alimentação das crianças este ano, também continuarão a integrar o cardápio em 2018, como as fórmulas especiais. Um exemplo são as fórmulas infantis que atendem crianças de zero a seis meses e a partir de seis meses, achocolatado diet sem glúten; biscoito de arroz sem glúten e sem lactose biscoito de polvilho com e sem glúten; biscoito sequilho sem glúten e sem lactose e leite em pó integral sem glúten e sem lactose.

Nos itens congelados e resfriados, a novidade será as polpas congeladas de acerola, caju e goiaba, além da mandioca descascada congelada.

A Semed (Secretaria Municipal de Educação) segue as orientações do PNAE, que visa assegurar e ofertar alimentação adequada às faixas etárias das crianças.

De acordo com o Programa Nacional de Alimentação Escolar, os cardápios elaborados pelas nutricionistas devem respeitar o emprego da alimentação saudável, diversificando os alimentos e buscando o respeito a cultura, tradições e os hábitos alimentares de cada região do país.

 

Veja também