Sicredi
ASSBMS
(67) 99826-0686

Empresas mantidas por Marquinhos para tapar buracos colecionam escândalos

Processos incluem Operação Lama Asfáltica e tapa-buracos fantasmas

11 JAN 2017
Airton Raes
11h23min
Foto: Geovanni Gomes

As três empresas contratadas pelo prefeito de Campo Grande, Marcos Marcello Trad (PSD), para realizar os serviços de tapa-buracos na Capital estão envolvidas em diversos escândalos, incluindo a Operação Lama Asfáltica e os tapa-buracos fantasmas.

A prefeitura manteve a contratação da Selco Engenharia Ltda, Pavitec Engenharia Ltda e Wala Engenharia Ltda. A administração municipal afirmou que foram tapados 6.711 buracos, com investimento de R$ 945.162,49,  em um custo médio de R$ 82,65 por metro quadrado. 

A Pavitec foi uma das empresas investigadas pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual), durante a gestão do ex-prefeito, Nelson Trad Filho (PTB), por irregularidades em contratos para serviços de tapa-buraco, envolvendo recursos de R$ 55 milhões, conforme o inquérito da 30ª Promotoria de Justiça de Campo Grande.

A empresa é de propriedade de Eva de Souza Salmazo, ex-secretária de planejamento e finanças de Nelsinho. A empresária  também foi assessora e amiga de Antonieta Amorim, deputada estadual pelo PMDB, que na época da assinatura do contrato era esposa do então prefeito da Capital. Mesmo sob suspeita, a Pavitec voltou a prestar serviços para prefeitura quando o então prefeito Gilmar Olarte (ex-PP) e o ex-secretário André Scaff assumiram as finanças do município.

A Wala Engenharia Ltda foi responsável pela construção da ponte de concreto que desabou em janeiro de 2016, em Guia Lopes da Laguna, e está na a lista de empresas investigadas pela Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica. Um dos sócios da empreiteira, Nivaldo Rodrigues Araújo, teria negociado obras com o pivô dos escândalos, o megaempresário João Alberto Krampe Amorim.

De acordo com a PF, “os contatos de João Amorim com outros empreiteiros da cidade, que seriam ‘concorrentes’ demonstra o respeito que todos têm por ele, espécie de articulador do setor”. Em ligação telefônica interceptada, Nivaldo e Amorim aparecem em possível negociação da obra da MS-171 e falam sobre o aval do então secretário de Estado de Obras, Edson Giroto.

A Selco Engenharia Ltda é uma das pessoas jurídicas com bens bloqueados, por danos causados aos cofres públicos devido a supostos superfaturamento na ação civil pública por dano ao patrimônio, investigado pela Operação Lama Asfáltica. A empresa é alvo de duas investigações. Na primeira, Lama Asfáltica, teve, junto com Nelsinho Trad  e mais 20, R$ 315 milhões bloqueados pela Justiça. Em outra, o escândalo do 'buraco fantasma', que acabou ganhando destaque nacional e rendendo à Prefeitura Municipal inquéritos no Ministério Público Estadual para investigar a "farra" com a verba pública.

Veja também