(67) 99826-0686

Velório de adolescente torturado com mangueira fecha rua e é marcado por pedido de Justiça

Dezenas de pessoas compareceram ao velório do jovem nesta manhã

15 FEV 2017
Anna Gomes e Dany Nascimento
10h05min
Foto: André de Abreu

Dezenas de amigos e familiares deram o último adeus ao adolescente de 17 anos que foi torturado com uma mangueira de compressão de ar em um lava-jato de Campo Grande. O velório do jovem acontece na manhã desta quarta-feira (15), na residência onde o rapaz morava, localizada na Rua Pedro Damião, no Bairro Pioneiros, na Capital.

A rua onde o jovem morava está interditada devido ao velório. Com muita tristeza, alguns curiosos que se comoveram com a história do adolescente que teve grande repercussão na mídia também foram ao local. O que mais intriga a família, além da falta de justiça é em um dia ver o rapaz conversando e no outro vê-lo morto.

Elsom Ferreira Silva, é tio do adolescente e destaca que no dia anterior da morte, seu sobrinho estava otimista e conversando normalmente, mas teve algumas complicações durante exames.

"A família fica toda em estado de choque, amigos que estudaram com ele já vieram e todo mundo muito triste por ele partir tão jovem e com tanta coisa boa para viver. Todos ficamos surpresos, pois realmente a gente acreditava que ele ia melhorar", lamenta o tio bastante emocionado.

(Tio do jovem. Foto: André de Abreu) 

Elsom ainda lembrou dos planos para o futuro que o garoto sonhava em um  dia concretizar. "Ele estava muito empolgado com esse emprego, queria voltar aos estudos e ajudar a mãe, mas infelizmente os sonhos do meu sobrinho foram interrompidos", disse.

Quando interrogado sobre os autores de ter cometido tamanha atrocidade com o jovem, Elsom ressalta que não quer vingança, mas sim justiça. "O Willian mora a quadras daqui, foi ele que indicou o emprego para meu sobrinho, os dois se conheciam desde quando eram crianças. No hospital, ele tentou pedir perdão, mas ainda estamos muito abalados", destacou.

 

Caso

O jovem foi vítima de uma crueldade no último dia três de fevereiro. Os suspeitos de cometerem o crime, identificados como Willian Henrique Larrea, 30 e Thiago Giovanni Demarco Sena, 20, trabalhavam com o adolescente que teve uma mangueira compressão de ar introduzida no ânus, em um lava-jato, localizado na Avenida Interlagos, na Vila Morumbi, em Campo Grande.

Mesmo com uma perda de 20 cm de seu intestino, o jovem havia apresentado uma melhora no quadro de saúde nesses últimos dias, mas o 'pesadelo' da família voltou na tarde de ontem (13), quando o adolescente começou a vomitar muito sangue, passou por uma endoscopia e foi confirmada uma grave lesão no esôfago do rapaz.

Entubado desde as 16h30 desta segunda-feira (13), o adolescente precisou voltar para área vermelha da Santa Casa, mas ele não resistiu e acabou falecendo na tarde de ontem. Os médicos ainda tentaram reanimar o jovem por cerca de uma hora, mas ele infelizmente acabou indo a óbito.

 

 

Veja também