festival de reggae
erro medico
(67) 99826-0686

Idosa quebra o pé em ônibus e culpa motorista: 'Ele estava correndo demais'

Vera Lucia disse que o ônibus passou com 20 minutos de atraso

11 JAN 2017
Dany Nascimento
08h00min
Foto: Geovanni Gomes

A idosa Vera Lucia Sardy, 62 anos enfrenta dificuldades após quebrar o pé na tarde de ontem (09), no momento em que o ônibus passou em um quebra molas, no bairro Taveirópolis, em Campo Grande. Acamada, a paciente afirma que costuma pegar o itinerário às 15 horas durante todos os dias, mas destaca que o veículo passou com vinte minutos de atraso e o motorista 'estaria correndo'.

"Ele passou 15h20, atrasado e estava muito apressado. Ele estava com tanta pressa, que nem parou para uma pessoa que havia dado sinal. Eu estava sentada no banco, quando ele passou rápido demais em um quebra molas, eu fui para cima e acabei caindo no corredor e senti uma dor muito forte no pé, quando olhei, meu pé estava mole e tinha dado fratura exposta", explica a idosa.

O marido da vítima, Edgar José de Azevedo, 72 anos, afirma que o responsável pela empresa do itinerário esteve no local, alegando que ajudaria com as despesas, mas nenhum contato foi feito. "Eles falaram que iam arcar, mas até agora ninguém ligou e ela vai ter que fazer cirurgia. Queríamos que eles oferecessem assistência, a Santa Casa está com problema em relação aos funcionários, eles estão paralisando as atividades porque estão sem receber e com certeza ela vai demorar para conseguir operar, então queremos que a empresa arque com as despesas e faça a transferência dela para um hospital particular".

De acordo com Edgar, não existe previsão para que o procedimento cirúrgico seja realizado. "Não tem data certa, tem pessoas aguardando há dias para fazer uma cirurgia, como a culpa foi da empresa, ela tem que arcar com o que aconteceu. Minha filha ligou para eles na empresa, e falaram que estão falando com o diretor, mas enquanto isso, estamos na mesma situação".

O TopMídiaNews entrou em contato com a empresa Jaguar, que alegou que apenas a Assetur vai se pronunciar sobre o caso. 

Veja também