re9
lalu kids
(67) 99826-0686

Mais um: MPE investiga se médico da Prefeitura recebeu sem trabalhar

Ministério Público já havia denunciado o vereador Paulo Siufi, que foi condenado pelo TJ

25 NOV 2016
Thiago de Souza
09h30min
Alvo do MPE em 2015, Paulo Siufi foi condenado pelo TJ

O MPE (Ministério Público Estadual) vai investigar suposto descumprimento de jornada de trabalho de um médico na Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) de Campo Grande. O objeto da apuração também vai apurar eventual fraude no controle de ponto do servidor no órgão.  

A 29ª Promotoria de Justiça e Patrimônio Público e Social de Campo Grande publicou, nessa quinta-feira (24), a conversão do procedimento preparatório em inquérito civil. O promotor designado para o caso será Marcos Alex Vera de Oliveira, que comandou o Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado) do MPE, durante a Operação Coffee Break. 

O nome completo do profissional não foi divulgado no diário oficial do MP, somente as iniciais WRP de O.  

Em 2015 o MPE investigou e denunciou o médico e vereador Paulo Siufi Neto (PMDB) por receber sem cumprir a carga  horária estipulada para a Unidade Básica de Saúde da Família Manoel Carneiro, no distrito de Aguão, que era de 20 horas semanais. Ele e outros cinco profissionais de saúde cumpriam apenas 4. Em outubro deste ano, Siufi foi condenado pela Justiça Estadual a devolver aos cofres públicos o dinheiro recebido sem prestar serviço, o que junto com multas somou aproximadamente R$ 1 milhão. O parlamentar foi condenado a perda dos direitos políticos por 8 anos, mas disse que vai recorrer da decisão. 

 

Veja também