TJMS
re9
(67) 99826-0686

Marquinhos reconhece que tarifa de ônibus pode aumentar até 8,78% neste ano

No entanto, destacou que Bernal deve fazer a reposição inflacionária prevista em contrato

30 NOV 2016
Rodson Willyams e Airton Raes
19h00min
Foto: André de Abreu / Arquivo

O prefeito eleito Marquinhos Trad, do PSD, disse que o atual administrador de Campo Grande, Alcides Bernal, do PP, garantiu que não concederá aumento na tarifa do vale transporte na Capital. Marquinhos afirmou que Bernal dará apenas a reposição inflacionária do período. No fim, se ocorrer, a tarifa fica mais cara do mesmo jeito.

"Ele me disse vai fazer a reposição inflacionária que está no contrato", disse durante entrevista na manhã desta quarta-feira (30), na Assembleia Legislativa. O índice da inflação ficou em 8,78%, e este será a base de cálculo para chegar a tarifa do vale transporte na Capital.

Durante a semana, o prefeito Alcides Bernal, chegou a declarar que não havia dito que congelaria a tarifa, mas que iria ver, o que poderia ser feito. Bernal chegou inclusive, a comentar que o consórcio que administra o transporte havia perdido passageiro e declarou que havia ido até Brasília (DF), para trazer investimento, e inclusive, renovar a frota com 79 ônibus, por meio do programa do Ministério das Cidades, Pró-Transporte.

Bernal havia declarado, que já teria encaminhado à Câmara Municipal, o projeto que prevê a redução do ISSqn. Na Casa, o presidente João Rocha, do PSDB, disse que o projeto deve ser analisado na próxima semana.

Na mira

O vereador Eduardo Romero, da Rede Sustentabilidade, afirmou que a população deve ficar atenta sobre a renúncia fiscal, referente ao ISS e que pode chegar a R$ 9 milhões, que impacta diretamente na tarifa do vale transporte em Campo Grande. Apesar da medida ser benéfica,  o parlamentar alerta para que os campo-grandenses não recebam um presente de 'grego' em função dos acertos feito na transição de governo.

Segundo o parlamentar, a isenção vem sendo dada desde 2012 até agora, e um novo projeto deve ser encaminhado à Câmara Municipal, pelo prefeito Alcides Bernal. No entanto, Romero lembra, que nesse projeto, o atual prefeito tem que informar como vai compensar a renúncia fiscal de R$ 9 milhões a menos nos cofres da prefeitura. "Ele vai precisar equiparar essa conta", ressalta. Veja a matéria completa aqui

Veja também