Aguas marcço2
Vivi bolsas - março
(67) 99826-0686

Marquinhos quer população fiscalize e assine obras de tapa-buraco

Em decreto a ser publicado, o prefeito vai exigir duas testemunhas, além do fiscal da obra

6 JAN 2017
Rodson Willyams
17h00min
Foto: Geovanni Gomes / Arquivo

O prefeito Marquinhos Trad, do PSD, afirmou, nesta sexta-feira (6), que vai contar com a colaboração da população, para que ajude a fiscalizar as obras referente aos serviços de tapa buraco em Campo Grande. 

Segundo Trad, um decreto deve ser publicado nos próximos dias, em uma das cláusulas exigira que cada buraco seja assinado por duas testemunhas. "Não vou pagar se não tiver as assinaturas", disse. 

E continuou, "vai ter que ter o RG, se necessário até o telefone. Em um momento de escândalos em que vivemos, nós temos que ter prudência", finalizou. 

Serviço 

Um dia após assumir o mandato como prefeito de Campo Grande, Marquinhos disse que iria intensificar os serviços de tapa-buraco nos próximos dias. Segundo ele, seis equipes já estão atuando de forma emergencial e mais nove devem começar a trabalhar até o final de semana.

Marquinhos destaca que os buracos costumam surgir com frequência nos mesmos pontos toda vez que chove, o que deve ser avaliado pela prefeitura para combater as causas do esfarelamento do asfalto, como a manutenção de bueiros e obras de drenagem. “Não é possível, sempre quando chove o nosso asfalto ficar assim”, declarou.

Algumas problemas já foram identificados pelo Ministério Público Estadual. Em junho de 2016, o promotor de Justiça Fernando Martins Zaupa relatou que o lançamento de CBUQ (massa asfáltica), cascalhos ou bica corrida em valas e buracos estava sendo realizado sem atendimento às regras da operação, além de preenchimento de buracos sem o recorte do revestimento asfáltico, sem a devida limpeza, emulsão asfáltica ou sem compactação.

“Os diversos buracos, apresentados nas mais variadas dimensões, profundidades e estados, não apenas danificam a propriedade veicular do cidadão já tomado de tributos, como também está a causar inúmeros acidentes de trânsito, com estorvo ao fluxo de veículos, atrasos, mobilização (gastos públicos) de órgãos de trânsito, de segurança, de saúde e emergência, além das constatações recentes de danos à integridade física e até mesmo morte de munícipes”, destacou Zaupa.

Segundo Marquinhos, as 15 equipes de tapa-buraco serão disponibilizadas até o fim da semana pelas mesmas empresas que já possuem contratos com o município, sendo que só deve ser ampliado o efetivo de trabalhadores. Ele não falou, no entanto, sobre decisão judicial de 27 de setembro que teria suspendido a contratualização dos serviços de tapa-buraco.

De acordo a assessoria do ex-prefeito Alcides Bernal (PP), a RR Barros Serviços e Construções Ltda ingressou com recurso contra a licitação, mas a administração comprovou que tanto a empresa quanto a Pavitec apresentaram o mesmo responsável técnico, descumprindo um dos itens do edital. O caso segue em análise pela Justiça.

 

Veja também