TJMS - Setembro
(67) 99826-0686

Em reunião com Dnit, CCR e prefeito, Marun anuncia R$ 9,5 milhões para última etapa do anel viário

Governo Federal vai investir R$ 9,5 milhões na última etapa

14 SET 2018
Rodson Willyams
12h25min
Foto: Rodson Willyams

O ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun, esteve reunido na sede do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) com representantes da concessionária da CCR MSVia e o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD). O Governo Federal vai investir recurso extra de R$ 9,5 milhões para dar agilidade e finalizar o trecho da obra do anel viário da Capital.

Após a reunião, o ministro informou que está atendendo a um pedido do presidente Michel Temer, do Projeto Chave de Ouro, que determinou o remanejamento de recurso de obras que estavam reservadas, mas que por algum motivo não serão concluídas neste ano. "O governo Temer vai remanejar recursos para obras que têm perspectivas de serem disponibilizadas ainda este ano para a população", explica Marun.

O ministro ainda afirmou que o recurso a ser destinado pelo governo federal será de R$ 9,5 milhões, dinheiro extra, para dar mais celeridade ao andamento da obra para que seja entregue até dezembro deste ano. "Eu sobrevoei o local e vamos fazer uma visita", comentou.

No entanto, Marun ainda lembrou que a obra deve enfrentar um desafio quanto à construção de uma rotatória no cruzamento com a BR-163, de responsabilidade da concessionária que ainda esbarra na duplicação. "Porém, vamos ver, o recurso está garantido e vamos ver se a prefeitura pode fazer", comentou.

Uma nova reunião vai acontecer na próxima terça-feira (18), em Brasília (DF), com representantes da concessionária e a ANTT. "Estou saindo daqui muito confiante".

Marquinhos  Trad informou que a prefeitura deve investir no local com 10% do recurso. "Vamos aplicar R$ 900 mil nesta etapa", reforçou. Conforme o secretário de Obras do município, Rudi Fiorese, a obra está em andamento, três rotatórias estão em andamento e o recuso deve dar mais agilidade à obra.

A obra já consumiu R$ 21,9 milhões, restavam R$ 14 milhões para concluir, e o valor da obra pode chegar a R$ 36,3 milhões.

Veja também