(67) 99826-0686

Mesmo com interdição da prefeitura, terreno volta a ser tomado pelo lixo no Santa Emília

Além do lixo acumulado na região, local serve de travessia informal para motociclistas

17 SET 2017
Dany Nascimento
09h30min
Foto: Wesley Ortiz

A decisão da prefeitura em interditar o ponto que era utilizado para descarte de entulhos e lixos no bairro Santa Emília não agradou os moradores, que destacam que a interdição piorou ainda mais a situação de quem mora na rua Capitão Mário Pereira. Uma ‘montanha’ de terra foi colocada na entrada da Avenida Wilson Paes de Barros, que liga o bairro ao Nova Campo Grande.

A equipe do TopMídiaNews já havia conversado com os moradores da região em maio deste ano e, ao voltar ao local, recebeu a informação que a montanha de terra vem ‘tirando o sono’ dos moradores, já que agora o descarte passou a ser feito na frente da interdição. O carpinteiro João Carvalho, 56 anos, afirmou que até tenta conversar com as pessoas que descartam lixo no local, mas sempre é surpreendido com palavras de baixo calão.

“A gente tenta impedir, mas logo ouvimos palavrões. Esses dias mesmo, eu vi um rapaz descartando aquele armário velho ali, fui falar com ele, mostrei a placa que está interditado e não pode jogar lixo, mas ele me xingou e me mandou calar a boca. Não adiantou nada eu falar com ele, porque o lixo ele deixou ali e quem sofre somos nós, os moradores”, diz João.                                                         

O morador afirma que as duas saídas foram fechadas. “Fecharam os dois lados, tanto a nossa saída para o bairro Nova Campo Grande, como a saída deles aqui para a região do Santa Emília e agora está pior. Agora o lixo fica assim, na porta da nossa casa e nós somos xingados. Pessoal da prefeitura veio, colocou a terra e pronto, não sabemos se vai ficar por muito tempo assim, se não vai. Os motoqueiros passam aí, mesmo sendo alto”.

Moradora da região há três anos, Mara Veneri, 58 anos, afirma que tem medo de chamar a atenção daqueles que descartam lixo na região, porque já viu até mesmo vizinhos serem ameaçados ao tentar impedir. “Eu tenho medo, eu fico bem quieta, fico dentro de casa porque já vi o senhor ser ameaçado. Ele tentando impedir e o homem falou que se ele voltasse aqui ele ia ver”.

Mara ressalta que se depara com ratos e baratas dentro de casa. “Com esse lixo aqui, sempre nos deparamos com baratas, com ratos dentro de casa. Nossa casa é limpa, eles vem da rua porque tem tudo isso de lixo acumulado. É difícil, ninguém se coloca no lugar dos moradores”.

O TopMídiaNews entrou em contato com a prefeitura da Capital para saber quais providências serão tomadas para solucionar o problema dos moradores e recebemos a informação de que houve uma ação de limpeza na região por parte do Sisep.

Sobre a entrada que fazia a ligação dos bairros, a assessoria de comunicação da prefeitura destaca que a entrada “não é oficializada como logradouro público pelo município e encontra-se dentro de propriedade privada, por este motivo o local onde havia este suposto acesso é uma travessia informal dentro de propriedade privada”.

Ainda conforme a prefeitura, a área estava causando problemas ambientais na região devido ao descarte irregular de entulhos e, por se tratar de área particular, o proprietário já foi notificado para a realização da correta manutenção. Em relação àqueles que forem flagrados por agente fiscal de meio ambiente da Semadur fazendo o descarte de lixo no local, eles serão autuados via processo administrativo por poluição ambiental.

Veja também