(67) 99826-0686

Campo-grandenses fazem força-tarefa para tentar salvar nascente no Jardim Mansur

Local é constantemente usado para descarte de lixo, o que prejudica a nascente do rio

10 SET 2017
Dany Nascimento
11h00min
Foto: Dany Nascimento

Quem é que nunca deixou as coisas que não utiliza mais na frente da residência para serem levados por quem poderá aproveitar? Pois é, um casal de moradores do Jardim Mansur, em Campo Grande, resolveu descartar alguns objetos e, minutos depois de colocar os materiais na calçada da casa, constataram que tudo havia sido levado por um rapaz.

Mas o que deixou Wilson Garcia, 42 anos, e Jacelina de Souza chateados é encontrar diversos objetos jogados na nascente de uma represa, próximo da residência do casal, na rua Luiz Charbel. Wilson destaca que, ao passar pelo local, reconheceu o material jogado às margens da represa e montou uma força-tarefa com os filhos para retirar o lixo.

“Esse rapaz jogou o que ele não queria na represa e têm outras pessoas que jogam lixo lá. As pessoas não respeitam a natureza, eles jogam lixo sem se preocupar, a água é cristalina, mas acaba sendo poluída por conta do lixo que descartam naquela região. As pessoas precisam ter mais consciência. Nós fomos lá com nossos filhos e tiramos o lixo, as crianças adoraram”, conta Wilson, que reside há 13 anos no Jardim Mansur.

Após fazer limpeza no local com a ajuda do filho de 13 anos e da filha de 7 anos, Wilson cogita convocar os vizinhos para montar um grupo e fazer uma limpeza geral na represa. “Estamos vendo até para chamar os vizinhos e limpar a represa, precisamos cuidar daquela área, é um lugar bonito que tem que permanecer limpo”.

A esposa de Wilson, Jocelina, afirma que. após a atitude, o casal de filhos pede todos os dias para voltar ao local. “As crianças adoraram, passamos o sábado limpando e tirando o lixo de lá. Eles perguntam direto agora sobre quando vamos lá terminar de limpar”.

Questionada sobre flagrar pessoas passando com veículos carregados com entulho para descarte na represa, a moradora afirma que nunca flagrou, mas toda as vezes que passa pelo local, se depara com um turbilhão de lixos espalhados. “Eu nunca vi o pessoal passando com carro cheio de entulho, mas ali está lotado de lixo e, daqui uns dias, a represa fica poluída”.

Veja também