conadhe
tjms
(67) 99826-0686

Nas Moreninhas, até eleição de presidente de bairro vira disputa política

Campanha durou dois meses e cinco chapas disputam cargo que não tem remuneração

19 JUN 2017
Liziane Berrocal
15h10min
Escola foi palco de votação para eleger representante do bairro Foto: Colaboração Silvio Kleber Macedo
cidade-morena-interna1
Victor Hugo - 28 anos

Com cinco chapas disputando o “poder” na Moreninha III, aproximadamente dois mil moradores devem escolher hoje o presidente de bairro. Com 35 anos de existência, as Moreninhas já tem tradição na disputa que dessa vez tem cinco chapas, deixando o clima mais quente na região.  A votação acontece na Escola Celia Maria Naglis, na Moreninha III.

E apesar do cargo não ter remuneração ,o prestígio político e evidência para ser cortejado por mandatários, é um temperam a mais. Dessa vez, disputam o cargo, Thyco Souza (Chapa 1), Luciano (Chapa 2), Valdecir Gordo (Chapa 3), João Doçura (Chapa 4) e Luzinete na Chapa 5.

A campanha é parecida com a de um vereador ou deputado, com duração de dois meses. Entre as propostas para levar os moradores às urnas – já que o voto não é obrigatório,  estão as promessas de buscar junto a políticos cursos profissionalizantes, horta comunitária, restauração de campo de futebol, quadras e praça.

Os tradicionais eventos que movimento as periferias também estão em alta, já que os candidatos também prometer a promoção de festas para comunidade e realizações para atividades para idosos. Sem esquecer é claro daquelas promessas básicas que ouvimos todos os anos que é cobrar do poder público saúde, segurança e educação de qualidade.

O 'tom'

“Sou morador há mais de 26 anos, então a gente sempre acompanhou bastante os trabalhos políticos do bairro e nunca tá satisfeito com o trabalho feito pelos presitentes e temos envolvimento com trabalho social, e vimos na associação de moradores uma oportunidade de expandir o trabalho social, e que nos motivou a candidatura”, garante Thyco Souza.

Segundo ele, foi feito um bom trabalho durante a campanha, foram de porta em porta conversando com os moradores. “Vimos o interesse de desenvolver a comunidade, a vontade de mudar a forma de que a atual administração da associação faz. Representamos essa mudança”, diz com discurso já político.

Questionado sobre se há apoio de algum político, Thyco não respondeu.

Já na chapa de Luzinete, a vice Crhys Segovia é quem falou com a reportagem. Segundo ela, a decisão de sair candidata foi devido a vontade de servir a coletividade. “Por acreditar que a política só tem sentido quando você dedica a servir a comunidade, com respeito e responsabilidade”, garante.

Apesar garantir que a chapa não está ligada a nenhum político, Luzinete é irmã do ex-vereador Coringa que atualmente é subsecretário de Direitos Humanos na Prefeitura Municipal. “Nossa chapa não está ligada à nenhum político. Estamos bastante confiante pois esses dois meses que antecederam a eleição trabalhamos incansavelmente conversando com cada morador e explicando qual o real papel do presidente de bairro e todas as propostas de trabalho que temos para uma Moreninha 3 ainda melhor para se viver”, aponta.

Porta de entrada para vída política

A disputa para presidente de bairro, é uma das portas de entrada para a vida política, Muitos líderes politicos atuais começaram a escalada política como liderança de bairro. As Moreninhas, nas eleições de 2012 finalmente conseguiram eleger representantes para a Câmara Municipal com a ida de Chiquinho Telles (PSD) e Coringa (PSD) para o legislativo municipal. Já no ano passado, apenas Telles se reelegeu. Ambos já tinham sido presidente do bairro. 

A eleição terminou com a vitória de Valdecir, que teve a preferência de 230 dos 860 moradores que votaram. A reportagem não conseguiu contato com os outros representantes. 

cidade-morena-interna2
nando viana

Veja também