vestibular fapec ufms
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
Word Wine - almoco japones

No aconchego de casa, Yago ganha carinho e terá festa de aniversário

Um grupo de colaboradores se uniu e busca doações para as comemorações dos 12 meses de vida do bebê

1 DEZ 2017
Dany Nascimento
11h50min
Foto: André de Abreu

Os primeiros dias do bebê Yago podem ser definidos com muito amor e uma pequena dose de ciúmes: É o que conta a vovó que vem exercendo o papel de mãe na vida do prematuro. Dona Adriana de Souza explica que o pequeno não estranhou os primeiros dias em casa, deu um susto na família ao engasgar com o leite e agora continua alegrando o lar da família no bairro Vivendas do Parque, em Campo Grande.

“Ele não estranhou o primeiro dia, dormiu a noite toda, não chorou e está tranquilo. Dia 29 de dezembro eu passei um susto com ele, fui dar o remédio e ele queria sugar como faz na mamadeira, mas eu tirei da boquinha dele porque já tinha engolido, daí ele ficou bravo, chorou e engasgou com o leite. Eu vi ele roxinho e sai correndo na rua, pedi ajuda para um rapaz que passava de carro e fomos para a UPA Tiradentes. O rapaz não era daqui, ele não sabia andar direito, mas me ajudou e levou a gente para o UPA Tiradentes. Lá os médicos conseguiram fazer ele voltar, graças a Deus. Em casa os outros netos estão enciumados porque agora minha atenção está voltada para eles, mas eu amo todos os meus netos demais”, conta a Vovó.

O caso de Yago é inédito na Capital, pois ele foi gerado no ventre da mãe, Renata Souza Sodré, que teve morte cerebral com cinco meses de gestação. Ela foi mantida por aparelhos, até o nascimento do bebê, que aconteceu no dia 31 de março deste ano na Santa Casa de Campo Grande.

Com lágrimas nos olhos, Adriana afirma que Yago é muito parecido com a mãe, tem gênio forte como a filha mais velha tinha. “Ele é muito parecido com ela, é bravo, já exige as coisas mesmo sendo tão pequeno. Eu lembro dela falando que eu ia cuidar do filho dela, ela brincava que quando tivesse um filho eu que ia cuidar e eu sempre falava não vou não, já cuidei dos meus filhos. Ela era muito agarrada em mim, dormia comigo quando era pequena, mesmo depois que a irmã dela nasceu. Sempre foi muito apegada em mim e graças a Deus que ela teve o Yago, que ela me deu ele de presente, se não eu acho que não aguentaria perder ela”, diz Adriana.

Adriana ressalta que perdeu uma filha e ganhou dois filhos de presente da vida. “Eu ganhei ele e o Eduardo que é meu outro filho. Ele chega do trabalho, só toma banho e já pega o Yago, fica com ele, conversa bastante. Ele fala muito com o Yago, me ajuda bastante. No domingo, quando está em casa, ele fica o dia todo com ele no colo. Para dormir, o Yago dorme comigo, na primeira noite eu fiquei cuidando se ele estava respirando, a gente tem isso né, de preocupação. Eu fiquei cuidando ele, durmo com a mão nele, ele gosta de sentir que sempre tem alguém com ele”.

Equipe Médica

De acordo com a Vovó, a equipe médica da Santa Casa continua apegada e preocupada com o bebê e pedem fotos para acompanhar o crescimento de Yago. “Eles ligam, se preocupam com ele. Eles se apegaram muito ao Yago, todos os dias recebemos ligações deles para saber como ele está, eles pedem foto dele, fica acompanhando. Sou muito grata a eles, é muito bom ver que ele é tão amado”.

Segundo Adriana, Yago terá acompanhamento médico até os 17 anos e ganhou tratamento odontológico. “O doutor Pedro vai cuidar dele até os 17 anos e eu recebi uma ligação esses dias de uma dentista querendo cuidar dele. Eu não tenho dentista e o Yago já tem, graças a Deus as pessoas estão ajudando bastante a gente, fico muito feliz”.

Festa de aniversário

Com oito meses de vida, Yago já pode se preparar para a festinha para comemorar seu primeiro ano de vida, pois segundo a Vovó, um grupo de pessoas já busca patrocínio para comemorar os 12 meses de Yago. “Já me ligaram falando que teremos que preparar a festinha de um aninho. Uma mulher está buscando patrocínio e já conseguiu algumas coisinhas. Não estávamos nem pensando em festa porque não temos condições de fazer, mas agora vamos ter, graças a união das pessoas”.

Doações

Todo tipo de doação é acolhida de braços abertos pela família de Yago. Segundo Adriana, o pequeno se alimenta do leite aptamil active que foi doado pela população e aqueles que desejam colaborar com o desenvolvimento do pequeno podem entrar em contato com a família.

“Todo tipo de ajuda é bem-vinda. Ele toma esse leite que custa caro, ganhamos fraldas e agora ele já usa a P, mas quem quiser nos ajudar com outros tamanhos também como M e G agradecemos de coração”.

Para ajuda a família ligue (67) 99312-2437 ou 99296-3387.

Veja também