(67) 99826-0686
Mosquito zero - fev 2018

Novela: Exército retoma obras em março, mas não conclui todo projeto de avenidas da Capital

Bandeirantes e Marechal Deodoro serão devolvidas para prefeitura

14 FEV 2018
Rodson Willyams
19h00min
Foto: André de Abreu / Arquivo

As obras tocadas pelo Exército em Campo Grande caíram em descrédito junto à prefeitura e os militares devem concluir apenas as vias Guia Lopes e Rua Brilhante. Isso antes de devolver o restante das obras para o município. A previsão é que os trabalhos sejam retomados em março e levem de quatro a seis meses para serem concluídos, caso chuva não atrapalhe.

Segundo prefeito Marquinhos Trad (PSD), em entrevista exclusiva ao TopMídiaNews, "o próprio Exército fez um acordo e assinou um termo de consenso para terminar a Brilhante e a Guia Lopes e, depois disto, eles vão devolver a Bandeirantes e a Marechal Deodoro", explicou.

Ele ainda afirmou que o município terá que abrir outro processo licitatório. "Não conseguiram  terminar as obras e agora vamos ter que novamente licitar. Isso se a chuva não atrapalhar", finalizou.

O Convênio

O convênio entre a prefeitura de Campo Grande e o Exército Brasileiro foi assinado durante a administração do ex-prefeito Alcides Bernal (PP). As obras ficaram sob a responsabilidade do 9º Grupamento Logístico, com prazo final de 24 meses e custaria R$ 24,046 milhões.

Na época, a prefeitura arcaria com o custo da obra e o Exército forneceria mão de obra e a expertise em construções. A promessa era que o asfalto seria de excelência, com durabilidade e evitará rachaduras.

Ao todo, estava previsto o recapeamento de 12 quilômetros das vias que integram o futuro Corredor Sudoeste do Transporte Coletivo: ruas Guia Lopes, Brilhante, Marechal Deodoro (altura  do terminal Aero Rancho) e toda extensão da Avenida Bandeirantes; bem como implantação de 6,42 quilômetros de drenagem e construção das bases onde serão instaladas as estações de pré-embarque  do corredor de ônibus.

A primeira via a ser recuperada foi a Rua Guia Lopes, em um trecho de 600 metros entre as avenidas Bandeirantes e a Salgado Filho. A segunda foi a Rua Brilhante (3 km), a terceira seria a Avenida Bandeirantes (4km) e por último a Avenida Marechal Deodoro (5km). A demora foi alvo de reclamação e de transtornos para a quem mora na região.

Veja também