TJMS
re9
(67) 99826-0686

Bandidos não respeitam nem criança e família vive noite de terror na Capital

Rosangela disse que os bandidos fizeram ameaças utilizando um revólver calibre 22

18 OUT 2016
Dany Nascimento
17h02min
A moradora prefere ficar do lado de dentro após viver uma noite de pânico na frente da família Foto: Geovanni Gomes

Assustada com o episódio turbulento, Rosangela Bentos viveu momentos de terror na noite desta segunda-feira (18), quando acabou rendida por dois bandidos armados, que conseguiram roubar uma caminhonete S10, placas HSC 9589. Ela afirma que foi uma das poucas vezes que sentou com a família em frente à residência na Rua Ariná, no bairro Moreninha 2, em Campo Grande.

A moradora recorda que estava sentada com o marido e o filho de 4 anos conversando com um amigo da igreja, quando dois homens chegaram a pé, com uma arma calibre 22, ordenando que todos entrassem na casa. "Eles vieram da Rua Abélia, sacaram a arma e mandaram a gente entrar e ficar quietos. Eles falavam em amarrar a gente e deixar dentro de casa, pediam televisão, mas explicamos a eles que não tínhamos televisão e, ao entrar, ele viu que na sala não tinha mesmo. Eles pegaram o celular do meu marido e a mochila de um amigo que estava com a gente conversando".

De acordo com Rosangela, os homens aparentavam ter entre 25 e 30 anos. "Eles eram novos, os dois usavam boné, um estava de bermuda e camiseta e o outro estava de calça jeans e casaco. Os dois estavam bem nervosos, mas não fizeram ameaça de morte, só mandavam a gente ficar quieto e pediam as coisas".

O filho do casal ficou assustado com a ação e foi empurrado por um dos bandidos. "Um deles ficou empurrando meu filho, que estava em choque e subiu no sofá. Eu pedi a ele que me deixasse ficar perto do meu filho, fiquei com medo dele chorar e deixar eles ainda mais nervosos".

Conforme Rosangela, a ação durou cerca de 5 minutos. "No máximo 5 minutos, foi tudo muito rápido. Na hora de ir embora eles pediram a chave do carro para sair. Meu esposo viu eles indo embora com a caminhonete, pararam no meio da quadra para ligar o farol e foram embora".

Diante do ocorrido, a moradora destaca que pretende evitar sentar do lado de fora do portão, devido a insegura que toma conta do bairro. "O susto foi muito grande, meu marido nunca gostou de sentar do lado de fora de casa, mas como ontem estava muito calor, sentamos e acabou acontecendo isso".

A caminhonete do casal ainda não foi encontrada e um Boletim de Ocorrência foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga.

Veja também