festival de reggae
erro medico
(67) 99826-0686

Prefeitura inicia pavimentação do trecho final de novo acesso à universidade

A execução da obra atrasou porque foi necessário remover e recuar a rede de energia elétrica após a travessia sobre o Córrego Seminário

7 NOV 2017
PMCG
08h45min
Foto: Diogo Gonçalves/PMCG

A Prefeitura de Campo Grande iniciou a pavimentação do prolongamento da Rua Marechal Câmara, via que servirá como um novo acesso à UCDB (Universidade Católico Dom Bosco) que hoje é feito apenas pela Avenida Tamandaré e Rua Cardeal Arcoverde. São aproximadamente 1.500 metros de extensão entre as ruas Tenente Lira e Santo Acúrsio, que margeia o estacionamento da instituição, onde já está sendo aplicada a capa asfáltica.

A obra, que faz parte da parte Etapa A da pavimentação do Jardim Seminário, foi retomada em março deste ano, com drenagem, pavimentação e construção da travessia sobre o Córrego Imbirussu: uma galeria celular de 25 metros de extensão, com três metros de diâmetros.

A execução da obra atrasou porque foi necessário remover e recuar a rede de energia elétrica após a travessia sobre o Córrego Seminário; negociar com a UCDB , que cedeu uma faixa de dois metros de uma área de sua propriedade para ampliar de 7 para 9 metros ( a largura padrão da via).

Para o técnico em enfermagem Emerson Antônio da Silva, 40 anos, morador há 13 anos do Jardim Seminário, as obras na Marechal Câmara, além de amenizar os congestionamentos, vão criar alternativa de lazer para os moradores da região.

“O entorno da Rua Marechal já ganhou asfalto, drenagem e calçada, e agora isso vai melhorar muito o trânsito por aqui, além de opção de lazer, porque a rua terá calçada e os moradores vão poder fazer caminhada com mais segurança, sem risco de atropelamento”.

A estudante de veterinária Paloma Crisley, 23 anos, disse que no horário de pico a Tamandaré vira um verdadeiro caos e quem tenta chegar de ônibus na UCDB enfrenta muita dificuldade, e às vezes nem consegue.

 “Eu venho de moto e não sofro tanto, mas é horrível”, declarou Paloma. Segundo ela, o problema é ainda maior, porque muitos alunos estacionam seus carros na faixa amarela e isso ajuda a congestionar o trânsito na Tamandaré. “Isso atrapalha até a manobra dos ônibus, e quando precisam manobrar para tudo, ninguém vai, ninguém vem. É um caos total”, comentou.

O secretário de Infraestrutura e Serviços, Rudi Fiorese, reconhece que a abertura do prolongamento da Rua Marechal Câmara não resolve definitivamente o problema de congestionamento que ocorre na Avenida Tamandaré nos horários de entrada e saída das aulas. Entretanto, cria uma alternativa de tráfego para os moradores da região “escaparem” do trânsito mais intenso na Tamandaré. A solução mais estrutural depende da obtenção de recursos junto ao Governo Federal.

O prefeito Marquinho Trad articulou com deputados federais e senadores de Mato Grosso do Sul, que concordaram em apresentar uma emenda de bancada ao orçamento da União no valor de R$ 30 milhões, para o projeto da abertura de uma avenida planejada para começar no final da Avenida Heráclito Figueiredo, que atravessaria uma área da universidade (que já se dispôs a ceder a faixa por onde passará o traçado) e terminaria na Avenida Tamandaré (logo após a UCDB).

Seminário

A pavimentação e drenagem do Jardim Seminário (Etapa A ) é uma das 25 frentes de obras que conta com recursos do “PAC-Pavimentação e Qualificação de Vias Urbanas”, no valor de R$ 311,7 milhões, financiamento do FGTS, contratado pela Prefeitura em 2014.

Nesta região o investimento total é de R$ 14,8 milhões, com execução de 10 quilômetros de pavimentação e sete quilômetros de drenagem. A Avenida Tamandaré foi recapeada (a partir da Rua Tenente Lira) e foi pavimentada a Rua José Matte, acesso ao Bairro São Caetano, concluído já na atual gestão.

Veja também