TJMS
re9
(67) 99826-0686

Mais uma vez: Prefeitura reajusta contrato com empresas envolvidas na Lama Asfáltica

Contratos foram publicados nesta sexta-feira

25 NOV 2016
Airton Raes
11h30min
Foto: Arquivo

A prefeitura de Campo Grande publicou termo aditivo com as empresas Anfer Construções e Comércio Ltda e Selco Engenharia Ltda. As duas empresas estão envolvidas em diversos escândalos, incluindo a Operação Lama Asfáltica.

Foi publicado no Diário Oficial do Município desta sexta-feira, 25 de novembro, prorrogação do contrato  nº 50 de 27 de junho de 2014 com a Empresa Anfer Construções e Comércio Ltda. O convênio foi prorrogado por mais 365 dias, com vigência até 27 de outubro de 2017. 

Também foi publicado o extrato do sétimo termo aditivo referente ao primeiro reajustamento do contrato nº125 de 27 de abril de 2012, entre a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação e a Empresa Selco Engenharia Ltda. Foi reajustado o valor unitário de acordo com os índices setoriais, alterando-se o valor estimado dos serviços em mais R$ 151 mil passando de R$ 3,4 milhões para R$ 3,6 milhões. 

Com o bloqueio de R$ 315.891.321,37 determinado pela Justiça de Mato Grosso do Sul em razão da Operação Lama Asfáltica, os investigados tiveram seus bens e veículos bloqueados que estão proibidos de serem transferidos ou vendidos. A decisão foi tomada pelo juiz Marcelo Ivo de Oliveira, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, atendendo um pedido da Força Tarefa do Ministério Público Estadual. 

A Anfer foi denunciada pelo Ministério Público Federal por suposto envolvimento na Operação Lama Asfáltica e por supostas irregularidades na licitação do aterro sanitário. Primeira empresa a vencer a licitação para construção do aterro sanitário, a Anfer Construções e Comércio (antiga Financial) é investigada por danos ao erário público na ordem de R$ 603.129,02. Os dados são de um levantamento da CGU (Controladoria-Geral da União), divulgado em 2013.

O dono da empreiteira, Antônio Fernando de Araújo Garcia, esteve envolvido em diversos escândalos, sendo que chegou a ser detido no dia 22 de junho de 2006, no Aeroporto Internacional de Campo Grande, com R$ 180 mil em espécie pela Operação Urugano.

A Empresa Selco é alvo de duas investigações. Na primeira, Lama Asfáltica, teve, junto com Nelsinho Trad (PTB) e mais 20, R$ 315 milhões bloqueados pela Justiça. Em outra, o escândalo do 'buraco fantasma', que acabou ganhando destaque nacional e rendendo à Prefeitura Municipal inquéritos no Ministério Público Estadual para investigar a "farra" com a verba pública.

 

Veja também