TJMS - Setembro
(67) 99826-0686

Bandidos aproveitam uniformes iguais de agentes de saúde para aplicar golpes na Capital

Novo golpe surgiu na praça; prefeitura alerta que uniformes não possuem logotipo da Sesau

15 JUN 2018
Dany Nascimento
07h00min

Agentes de saúde, que preferem não se identificar, estão revoltados com um novo golpe na praça. É que uniformes semelhantes aos dos trabalhadores foram distribuídos para pessoas de outras atividades e bandidos têm aproveitado as roupas para entrar nas casas da população.

Uma das profissionais que procurou o TopMídiaNews afirma que já ouviu relatos de algumas vítimas de pessoas má intencionadas. “Sou agente de combate às endemias concursada pela prefeitura. Como todo agente de saúde temos que trabalhar uniformizados e com crachás, pois já aconteceu por diversas vezes outras pessoas com más intenções se passarem por agentes e adentrar em residências para fazer pequenos furtos”.

Ela afirma que a atitude tomada pela prefeitura passou na televisão e muitos profissionais estão preocupados. “O senhor prefeito simplesmente distribuiu nossos uniformes para algumas pessoas construírem casas, inclusive passou na televisão e está no site da prefeitura pra quem quiser olhar. A categoria está revoltada porque eles não são agentes e o nosso uniforme é comprado com verba federal”.

Uniforme usado por agentes de saúde - Foto: PMCG

A agente confirma que moradores relatam que supostos agentes já surgiram nas casas solicitando dados pessoais dos moradores. “Nós não trabalhamos com esses dados. A população precisa ficar em alerta”.

Os uniformes, da mesma cor e modelos que os dos agentes de saúde, foram entregues para moradores da antiga Cidade de Deus, que estão construindo casas populares, e para funcionários do Proinc, que ajudam na limpeza das ruas e a catar materiais que podem ser recipientes para mosquitos da dengue. 

“Ontem uma colega viu um entregador de mercadorias em um caminhão fazendo entrega com nosso uniforme. Ocorreu um fato onde eu trabalho que uma pessoa se passando por agente de endemias entrou em uma residência e pediu documentos dos moradores. Até onde pode chegar isso? O perigo é um morador ser roubado e até ser agredido. Mulheres e crianças correm risco com homens desconhecidos de má índole”, desabafa outra profissional.

O que diz a prefeitura

Em nota, a prefeitura de Campo Grande informou que a Agência Municipal de Habitação (EMHA) fez adesão "(a pedido da Emha) à ata de registro de preço da Sesau. Os uniformes foram pagos com recursos da EMHA e não com verba do governo federal". Também destacou que "os uniformes não possuem a logomarca da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), apenas a mesma cor padrão. A EMHA esclarece ainda que qualquer órgão pode aderir à ata, quando necessário".

Neste caso, fica o alerta para verificar o símbolo da Sesau nos uniformes.

Veja também