Nilson Pugatti
(67) 99826-0686
PMCG IPTU 2019

Sinalização começa a funcionar e gera alívio em comerciantes da Euler de Azevedo

Em menos de dois meses, duas pessoas morreram em acidente em um dos trechos da avenida recém-reformada

16 JUN 2018
Kerolyn Araújo
07h00min
Foto: Kerolyn Araújo

Os semáforos da Avenida Euler de Azevedo, em Campo Grande, começaram a funcionar no final do mês de maio e já causam alívio para comerciantes da região. Em menos de dois meses, duas pessoas morreram em acidente em um dos trechos da avenida recém-reformada. 

Para a comerciante Luzia Paula Fernandes Alves, 35 anos, que presenciou o acidente que vitimou Nilton Lima, a sinalização da avenida dá um ar de tranquilidade, porém o resto depende dos motoristas. ''Os semáforos melhoraram muito o fluxo, estava bem complicado. Mas, infelizmente, ainda existem os imprudentes. Agora vai depender da educação das pessoas", ressaltou.

O funcionário de um comércio na avenida, Jean Petini, 27 anos, disse que não presenciou mais acidentes no trecho desde que a via foi sinalizada. ''A sinalização melhorou muito. Não vi mais acidente. Está bem mais tranquilo".

Acidentes 

Vários acidentes foram registrados na avenida desde a obra de duplicação e inúmeras falhas foram apontadas por motoristas que passam diariamente pelo local, entre elas um guard-rail que foi instalado entre as duas pistas, que dificulta a visibilidade dos condutores.

O primeiro acidente ocorreu no dia oito de abril. A professora Luzinete Cezar Gonçalves seguia pela avenida em uma motocicleta quando foi atingida por um veículo VW Gol e arremessada a 100 metros. Ela chegou a receber alta médica, mas teve complicações em uma das pernas que foi amputada e morreu.

O segundo acidente fatal ocorreu quase um mês depois, no dia seis de maio. Nilton Lima seguia em uma motocicleta, bateu em um veículo Citroen C3 e morreu na hora.

A obra

A obra da avenida faz parte do programa 'Juntos por Campo Grande', é executada pela prefeitura da cidade com contrapartida do governo do Estado.
Ela está inserida no amplo projeto de drenagem e pavimentação do Complexo Altos do São Francisco, que conta com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Pavimentação que somam R$ 8,2 milhões.

Veja também