(67) 99826-0686
CG bem melhor - maio

VÍDEO: paciente registra descaso e lentidão no atendimento na UPA Vila Almeida

Enquanto a escala da prefeitura mostrava cinco médicos, a paciente filmou apenas um consultório atendendo na unidade

17 MAI 2018
Dany Nascimento
13h00min
Foto: Reprodução

Revoltada com o descaso da saúde pública diante da falta de profissionais para atender pacientes na Capital, uma leitora do TopMídiaNews registrou a grande quantidade de pessoas que aguardava atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida.

A mulher filma mais de 20 pacientes aguardando atendimento, sendo que apenas um consultório estaria chamando os pacientes. “Olha o tanto de gente, está todo mundo aqui, inclusive eu, não tem médico, porta suja, encardida, fedida e não tem médico. Tem duas salas fechadas e uma aberta, que é a única que está chamando no consultório nove”, diz a mulher na filmagem.

De acordo com a escala médica divulgada pela prefeitura ontem (16), a UPA Vila Almeida contou com cinco médicos para atender a população tanto de dia, quanto no período da noite.

O TopMídiaNews entrou em contato com a prefeitura da Capital, que informou através da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), que o quadro de médicos estava completo e que os atendimentos não são realizados por ordem de chegada. “O quadro médico da unidade estava completo durante o período noturno com 5 médicos clínicos e 4 pediatras fazendo o atendimento e o mesmo estava transcorrendo normalmente.  É importante ressaltar que o atendimento nas unidades de urgência e emergência se dá por gravidade do caso, determinado por uma classificação de risco e não por ordem de chegada, portanto casos menos graves, ou seja, aqueles classificados como azul e verde, acabam sendo preteridos por causa de casos mais urgentes”.

De acordo com a prefeitura, a prioridade para casos mais graves resulta na demora de casos considerados de menos urgência. “A demanda maior de pacientes mais graves resulta também em uma demora maior no atendimento geral, uma vez que os profissionais médicos se revezam no atendimento interno (enfermarias e sala de emergência)”.

Veja também