(67) 99826-0686

Após cinco meses, comerciantes reclamam da demora nas obras do Exército

Para alguns comerciantes, o asfalto no local está irregular e muito ainda precisa ser feito

9 JUL 2017
Rodson Willyams
07h00min
Foto: André de Abreu

As obras de recapeamento, iniciadas no dia 13 de fevereiro, que compreende a Rua Guia Lopes da Laguna, no trecho entre a Rua Brilhante e a Avenida Afonso Pena, completa cinco meses em julho e a principal reclamação dos comerciantes da região é a demora na execução da obra.

Nos últimos dias, para instalação de dutos, a via chegou a ficar interditada e o trânsito da região precisou ser remanejado para ruas adjacentes. No cruzamento da Rua Salgado Filho, o local ainda permanece parcialmente fechado para a realização da obra.

A reportagem esteve conversando com os comerciantes do local na quarta-feira (5). Um deles, que preferiu não se identificar, disse ao Portal que, apesar da obra estar em andamento, ‘o asfalto ainda está cru’. E reclama sobre a demora para conclusão do trecho. “Vejo que [a obra] está parada”, disse. 

Outro a comentar foi Silvio André Torres, de 48 anos, que possui uma oficina na esquina do cruzamento há 10 anos. Silvio contou que desde as obras não prejudicaram o seu negócio, mas ele teve que se adaptar.

“Até o momento não atrapalhou a empresa. Quando fechou [a rua], os clientes acabaram ligando e fui lá buscar os carros”, disse. Mas também enfatiza a demora. “Está demorando essa obra, e vejo que a qualidade do asfalto ainda está bastante irregular”, finaliza.

O Convênio 

As obras na Rua Guia Lopes fazem parte de um conjunto de quatro vias que serão recuperadas em convênio com o Exército Brasileiro, que englobam a Rua Brilhante e as avenidas Bandeirantes e Marechal Deodoro.

O convênio entre o Exército e a prefeitura de Campo Grande prevê um investimento de R$ 24 milhões, e 12 quilômetros de vias serão recuperadas.

O TopMídiaNews conversou com os militares que trabalham no local, mas todos afirmaram que não poderiam se pronunciar e que somente o Comando Militar do Oeste poderia falar sobre o assunto. Durante a passagem pelo local, o Portal ainda flagrou militares utilizando aparelho celular no expediente de trabalho.

Veja também