(67) 99826-0686

Através de ação solidária, projeto ensina alunos importância da gentileza no dia a dia

Projeto promove doações para instituições carentes e ensina alunos a se colocarem no lugar do outro

14 NOV 2017
Diana Christie
15h20min
Foto: Diana Christie

Um bom dia, muito obrigado (a), um sorriso ou por favor. São ações pequenas que não custam nada e podem melhorar o dia de uma pessoa e cativar amigos, colegas de trabalho e familiares. Com isso em mente, a professora de língua portuguesa Maria Lúcia de Lima criou o projeto ‘Gentileza gera Gentileza’, que ensina cidadania através de ações solidárias.

De acordo com Matildes Araújo Lima, diretora-adjunta da escola estadual Arlindo de Andrade Gomes, onde o projeto é pioneiro, a professora responsável vem trabalhando ações de cidadania, respeito ao próximo e solidariedade desde o início do ano letivo, o que vem se refletindo em melhorias nas notas e no comportamento dos alunos.

O cenário do projeto é simples, com alguns varais de roupas, um stand de sapatos e vários cartazes com frases de motivação e mensagens de carinho escritas pelos estudantes envolvidos na ação. Mas o objetivo é nobre, estimular a solidariedade e ensinar a importância de tratar todas as pessoas com educação e gentileza.

“Nós temos o varal solidário onde você deixa uma peça que não quer mais, mas está em boa condição de uso e leva uma peça que te agrada. Aí, no final, quando houver todas as trocas, vamos coletar o que sobrar e doar para uma instituição de caridade. Os alunos também estão arrecadando alimentos, que serão entregues juntamente com as roupas e sapatos”, explica Matildes.

A instituição beneficiada, desta vez, será o Ismac (Instituto Sul-Mato-Grossense Para Cegos). Conforme a professora Maria Meire de Souza, se trata de uma ação integrada ao projeto Conecta, que a SED (Secretaria de Estado de Educação) desenvolve nas 86 escolas estaduais de Campo Grande. “Hoje todos os turnos estão envolvidos, mas o 2º ano B Matutino é a turma que foi escolhida para trabalhar como carro-chefe”, revela.

Programa Conecta

Auxiliando no diálogo com os estudantes, a professora Ana Rachell Schmidt explica um pouco mais sobre a proposta da SED. “Achei uma ação muito interessante. O Conecta, este ano, pegou para trabalhar temas que mexem com a sensibilidade humana. A gente, como escola, tem que mudar o comportamento do ser humano, então as propostas vieram bem voltadas para agitar essa gurizada, mudar o comportamento, refletir sobre as posturas sociais coletivas. Esse projeto da gentileza foi um presente para terminarmos o ano letivo porque a gente precisa de mais gentilezas, educação, parcerias, solidariedade”.

Para Ana Rachell, Maria Lúcia acertou em cheio ao trabalhar a dificuldade que os adolescentes têm em se colocar no lugar do outro. “É um momento de reflexão, formação de caráter, valores e essa questão da cidadania na escola, principalmente no Arlindo de Andrade Gomes, sempre foi muito forte. Então são temas transversais que fazem parte da nossa base curricular e devem ser trabalhados constantemente na escola. Achei que teve um resultado além do que a gente esperava”, finaliza.

Veja também