(67) 99826-0686

Após demissão, funcionários da Seleta ficam sem receber acerto trabalhista

Entidade diz que Prefeitura não fez repasse de R$ 830 mil para pagar demissões

17 JUL 2017
Liziane Berrocal
13h10min

Os funcionários terceirizados da Prefeitura Municipal de Campo Grande, que prestavam serviços por meio de contratação da Seleta, reclamam que estão sem receber o acerto, mesmo após o fim do prazo legal para pagamento das verbas de rescisão trabalhista, que é de dez dias.

“Eu fui demitida dia 19 de junho, há quase um mês, e ainda não recebi o meu acerto”, contou uma ex-funcionária que pediu para não ser identificada. “Sei que tem a Justiça, mas não quero ter que brigar, preciso do dinheiro para pagar as contas básicas da minha casa”, reclamou.

O advogado Laudson Ortiz, que representa a entidade, afirmou que as verbas rescisórias ainda não foram pagas para os trabalhadores devido ao atraso do repasse da Prefeitura. “Foi enviado por meio de ofício uma lista com setenta nomes de pessoas que seriam demitidas, essas pessoas foram avisadas da demissão, porém, até o momento, não foram depositadas as verbas rescisórias de responsabilidade da Prefeitura”, explicou.

“O valor é de aproximadamente R$ 830 mil já com o valor da multa”, afirmou ele sobre o montante. Após o prazo legal da legislação trabalhista, o empregador é obrigado a pagar multa no valor do último salário recebido pelo empregado demitido. “Se o funcionário recebia R$ 2 mil tem que pagar mais R$ 2 mil, e esse atraso só onera o contribuinte porque quem paga é o poder público, com dinheiro público”, alertou.

De acordo com as informações recebidas por ele, a Prefeitura informou “extraoficialmente” que até o próximo dia 20 os valores já estariam depositados.

Nova lista de demitidos é recusada pela Seleta

Ortiz pontuou ainda que uma nova lista com nomes de funcionários para serem demitidos já teria sido enviada para a Seleta, porém, eles não aceitaram. “A orientação é que não façam novas demissões até o acerto destes que já foram demitidos. A preocupação é que no próximo dia 28 já vence o prazo judicial para a demissão de todos os terceirizados e a Prefeitura ainda não nos respondeu”, pontuou.

O outro lado

Em contato com a Prefeitura na ocasião da demissão do dia 28 de junho, a assessoria de imprensa afirmou que  a Secretaria Municipal de Educação não havia encaminhado “nenhum documento de aviso prévio a trabalhador” e desconhecia tal informação. Já sobre a situação atual, não foi enviada resposta até o fechamento desta reportagem. 

Veja também