(67) 99826-0686

Família de advogada morta em acidente faz manifestação por 'trânsito mais consciente'

Pedido é que as pessoas usem branco para homenagear Carolina Albuquerque

10 NOV 2017
Liziane Berrocal
13h15min

Familiares e amigos da advogada Carolina Albuquerque Machado, 24 anos, farão uma manifestação neste sábado (11), na Avenida Afonso Pena esquina com a Paulo Coelho Machado, local onde foi o acidente que culminou na morte dela, após a caminhonete dirigida pelo estudante de medicina João Pedro da Silva Miranda Jorge, 23 anos, bater no carro da jovem. O encontro está marcado a partir das 16h.

Em postagens nas redes sociais, a família pede que as pessoas estejam de camiseta branca. A manifestação será em memória de Carol e também uma campanha “contra a impunidade e de conscientização para um trânsito mais seguro”.

Carolina estava com o filho de quatro anos no banco de trás, e a criança sofreu uma fratura na clavícula. Já João Pedro estava acompanhado do irmão João Victor da Silva Miranda Jorge, também acadêmico de medicina. O motorista fugiu do local e teve a prisão preventiva decretada após testemunhas afirmarem que ele estaria em alta velocidade e supostamente teria bebido.

O suspeito se entregou no sábado (4) e, na segunda-feira (6), foi solto após pagar fiança de R$ 50 mil, o que gerou a revolta da família e de quem acompanha o caso.

Vídeos de câmeras de segurança mostram o momento da batida quando Carolina atravessou o sinal vermelho e acabou colhida pela caminhonete Nissan Frontier. Com o impacto da batida o carro foi arrastado por vários metros.

João Pedro segue solto usando tornozeleira eletrônica e o delegado responsável pelo caso ainda está ouvindo testemunhas, analisando provas e aguarda resultados periciais. 

Veja também