informe leilão
dr. hernia
(67) 99826-0686

Publicidade do Governo ganha aditivo de 25% e valor total chega a R$ 43 milhões

Valor é válido para cada seis meses de investimento no setor

10 FEV 2017
Rodson Willyams
19h00min
Foto: André de Abreu

O secretário da Casa Civil do Governo do Estado, Sérgio de Paula, concedeu, nesta sexta-feira (10), o quarto Termo Aditivo, com acréscimo de 25%, sobre o contrato inicial a 12 empresas do ramo de publicidade e propaganda. Elas são responsáveis pela comunicação e divulgação de informes relacionado a gestão do atual governador Reinaldo Azambuja, do PSDB. A data de assinatura é retroativa a 8 de fevereiro e o prazo de vigência vai até 12 de abril de 2017.
 
As agências de publicidade e propaganda foram vencedoras de licitação feita pela Superintendência de Licitações, localizada na SAD (Secretaria de Administração e Desburocratização), em maio de 2015, quando o governo contratou até 12 empresas pelo valor de R$ 35 milhões, durante o período de seis meses. 

Em 2016, durante 12 de agosto a 12 de outubro, Sérgio de Paula chegou a conceder o II Termo Aditivo, com o acréscimo de 25% sobre o contrato inicial feito com as agências. O valor chegaria ao mesmo montante de R$ 43 milhões. Porém, ao final da vigência, a Casa Civil publicou no dia 9 de novembro de 2016, no Diário Oficial do Estado, o III Termo Aditivo às empresas. 

Nele, havia a seguinte mensagem. 'Conforme disposição da Subcláusula Primeira do Termo Aditivo n° 02/2016 ao referido contrato, o valor anteriormente aditado decaiu com o encerramento da vigência em 12/10/2016, voltando ao valor inicial de R$ 35.000.000,00 (trinta e cinco milhões), sendo o referido valor global, para cobrir as despesas com todas as agências contratadas no processo n° 49/000.041/2015".

Diante disto, o prazo foi renovado por mais seis meses, a contar do dia 13 de outubro de 2016. E nesta sexta-feira (10), o IV Termo Aditivo foi publicado, com o acréscimo de 25%, sobre os R$ 35 milhões inicial, passando para R$ 43 milhões, até 12 de abril de 2017. 

As empresa contempladas são: Agilitá Propaganda e Marketing Ltda; Comuniart Comunicação &Marketing Ltda.-EPP; Origem Comunicação e Marketing Ltda - EPP; Novo Engenho Comunicação Integrada Ltda; Let´s Comunicação Integrada Ltda ME; Materia Prima Comunicação Ltda me. 

No grupo, ainda há empresas que prestaram serviços ao Estado, durante a gestão do ex-governador André Puccinelli, do PMDB e que permaneceram na atual gestão tucana, são elas: Ramal Propaganda Ltda.-ME; Art e Traço Publicidade & Assessoria Ltda - EPP; Compet Marketing e Comunicação Ltda - EPP; Think Service Design Ltda; B & W Três Propaganda Ltda e Slogan Publicidade Ltda. 

Prestação de serviços

As empresas foram contratadas para prestar os seguintes serviços: executar um conjunto de atividades realizadas integradamente que tenham por objetivo o estudo, o planejamento, a conceituação, a concepção, a criação, a execução interna, a intermediação e a supervisão da execução externa e a distribuição de publicidade aos veículos e demais meios de divulgação, com o objetivo de promover a venda de bens ou serviços de qualquer natureza, difundir ideias ou informar o público em geral, interno (endomarketing) e externo. 

Há ainda, atividades complementares como: serviços especializados pertinentes ao planejamento e à execução de pesquisas e de outros instrumentos de avaliação e de geração de conhecimento sobre o mercado, o público-alvo, os meios de divulgação nos quais serão difundidas as peças e ações publicitárias ou sobre os resultados das campanhas realizadas; à produção e à execução técnica das peças e projetos publicitários criados; à criação e ao desenvolvimento de formas inovadoras de comunicação publicitária, redes sociais, em consonância com novas tecnologias, visando à expansão dos efeitos das mensagens e das ações publicitárias no assessoramento e apoio no desenvolvimento e execução em ações de comunicação. 

Veja também