FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
Gov presente - transparencia

Investigação em rodovia da Lama Asfáltica é arquivada no Ministério Público

Denúncia destacava o aumento de crateras e erosões nas margens da rodovia e o surgimento de buracos no asfalto recém-pavimentado

18 JUN 2017
Diana Christie
14h52min
Foto: PMCG

Investigação, que tramitava na 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social, sobre suposto abandono da obra de pavimentação asfáltica da rodovia MS-010, no trecho entre o entroncamento do anel rodoviário de Campo Grande e o Distrito de Rochedinho, será arquivada pelo MPE (Ministério Público Estadual).

Segundo o diário oficial, interessados têm até dez dias para apresentar “razões escritas, peças informativas ou documentos” que podem ser juntados ao inquérito civil, caso haja interesse em manter a investigação da obra na MS-010, citada pela Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica.

A denúncia, protocolada no MPE por Adriano Pereira Santana, destacava o aumento de crateras e erosões nas margens da rodovia e o surgimento de buracos no asfalto construído recentemente pela empresa Anfer Construções e Comércio, que iniciou a obra em 2013 e demorou mais de ano para concluir o serviço.

Lama Asfáltica

Além disso, de acordo com relatório da Operação Lama Asfáltica, o trecho da MS-010 que liga Campo Grande a Rochedinho foi superfaturado. A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) calculou serviços para 25 quilômetros de rodovia, mas o trecho, segundo a PF, só possui 20,3 quilômetros, dos quais apenas 4,7 quilômetros precisavam/receberam reparos.

“Ressalta-se que os pagamentos de manutenção, sejam eles em rodovia pavimentada ou não, são indevidos por existir no mesmo trecho, ao mesmo tempo, obra de pavimentação em execução, a qual já engloba tais serviços”, destacou a PF em análise que identificou irregularidades na medição também de obras na MS-040 e MS-080.

Veja também