TJMS
re9
(67) 99826-0686

Parcerias da Agepen qualificam reeducandos do regime semiaberto em Naviraí

No total, 14 reeducandos foram qualificados

29 NOV 2016
Agepen
09h38min
Foto: Agepen

Internos do Estabelecimento Penal do Regimes Semiaberto, Aberto e Assistência ao Albergado de Naviraí participaram de cursos de qualificação profissional oferecidos por meio de parceria estabelecida entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Conselho da Comunidade, Poder Judiciário, Ministério Público e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Coordenadas pela Diretoria de Assistência Penitenciária da Agepen, por meio da sua Divisão de Educação, a capacitações foram fornecidas pelo Senai no sistema Educação à Distância (EAD), nas áreas de: consumo consciente de energia, desenho arquitetônico, educação ambiental, empreendedorismo, finanças pessoais, logística, legislação trabalhista, metrologia, noções de mecânica automotiva, propriedade intelectual, segurança do trabalho e tecnologia da informação e comunicação. As aulas foram realizadas na sala de informática do Senai na cidade.

A cerimônia de entrega de certificados ocorreu na semana passada, na Sala do Tribunal do Júri do Fórum da Comarca, com a participação de autoridades, servidores penitenciários e familiares dos detentos. No total, 14 reeducandos foram qualificados.

O diretor do presídio, Paulo Sérgio Vieira, destacou que o oferecimento de cursos profissionalizantes é essencial no processo de reinserção social, pois facilita a colocação no mercado de trabalho quando conseguirem a liberdade, o que impacta diretamente em benefícios para toda a população, já que rompe o ciclo da reincidência criminal. “Por isso, temos buscado junto aos parceiros o maior número possível de capacitações aos nossos custodiados”, garantiu.

Para o interno Fabiano Lopes, que participou de todos os cursos ofertados, a qualificação é muito importante para se conseguir uma boa colocação do mercado de trabalho. “Queremos mostrar que a gente erra sim, mas desejamos a mudança de vida. Se novos cursos forem ofertados, irei participar com certeza”, afirmou.

Já o juiz da comarca Paulo Roberto Cavassa, ressaltou que é importante que “a sociedade consiga enxergar os detentos com outros olhos” e que oportunidades profissionais sejam dadas. “Foram qualificados por uma instituição séria como o Senai e estão aptos a desenvolver os trabalhos. Esperamos para 2017 que o mercado seja aquecido com essa massa qualificada”, declarou.

Conforme a coordenadora Pedagógica do Senai, Jaqueline Santana de Faria, mesmo sendo pelo sistema EAD, todas as aulas foram monitoradas por um instrutor e seguiram os protocolos de qualidade da instituição. Segundo ela, a intenção é que novos cursos de iniciação profissional sejam disponibilizados no ano que vem.

Veja também