Aguas marcço2
Vivi bolsas - março
(67) 99826-0686

População diz que tapa-buraco ajuda, mas não é a solução para Campo Grande

Moradores acreditam que recapeamento resolveria o problema dos buracos da cidade

14 JAN 2017
Kerolyn Araújo
07h00min
Foto: Geovanni Gomes

Há 14 dias no cargo de prefeito, Marquinhos Trad (PSD), afirmou que mais de 4,5 mil buracos já foram tampados na Capital em seis dias. A equipe do TopMídiaNews foi às ruas saber o que a população está achando do serviço.

Conforme o servidor público Augusto Mário Alves da Silva, 63 anos, o serviço de tapa-buraco é apenas um remendo, mas que por enquanto está ajudando. "O certo seria recapear. Mas em vista do caos que a cidade estava, já é alguma coisa", disse.

O mototaxista José Rosa, 43 anos, que diariamente trafega pelas ruas da cidade, o serviço de tapa-buraco está ajudando muito, mas assim como Augusto, acredita que o trabalho não é a solução para Campo Grande. "O serviço está resolvendo o problema e já melhorou bastante, porém o asfalto já não aguenta muita coisa. O certo seria recapear, mas com qual dinheiro?", questionou.

Para Adriana Pereira Paniago, 40 anos, o serviço de tapa-buraco não pode ficar restrito apenas a áreas centrais e deve se expandir para os bairros que também estão sofrendo com as crateras. "No bairro Santa Emília tem um buraco que não da para ver o fundo. A cidade toda está abandonada. Deveriam recapear tudo", opinou.

Para dar continuidade ao trabalho, a prefeitura firmou um convênio de R$ 50 milhões com o governo do Estado para serviços de tapa-buracos e recapeamento. 

Em entrevista a uma emissora local, Marquinhos admitiu que a solução seria recapear, porém o município não possui dinheiro para isso. 

 

Veja também