(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Chácara Buriti é a primeira comunidade negra do país a receber o Selo Quilombos do Brasil

Reconhecimento

20 NOV 2013
Ana Rita Chagas
08h47min
Foto: Rachid Waqued

Produtores da comunidade negra Chácara Buriti, do estado, possuem a partir de agora o Selo Quilombos do Brasil emitido pelo MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), que identifica produtos junto aos mercados privados e institucionais, no país.A Chácara Buriti é a primeira comunidade negra a receber a permissão de uso do selo.

A ação foi articulada entre o MDA, a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir) e a Fundação Palmares. O Selo Quilombos do Brasil serve como certificado de origem e identidade cultural para os produtos de procedência quilombola.

Para a presidente da comunidade Chácara Buriti, Lucinéia de Jesus Domingos Gabilão, a certificação ajudará a divulgar os trabalhos desenvolvidos pelos quilombolas. " Com o selo todas vão saber que saiu daqui de dentro da comunidade negra Chácara Buriti. Ajuda no desenvolvimento da comunidade e dos produtores”, comemora.

Produção - Lucinéia explica que a conquista da certificação é resultado das diversas parcerias firmadas ao longo de oito anos.  Com a produção veio, também, a necessidade de elaboração de projetos de crédito rural. De acordo com o engenheiro agrônomo da Agraer Altair Luiz da Silva, por meio de uma chamada pública do MDA, a Agraer elaborou uma proposta de trabalho e foi contemplada. Entre os anos de 2011 e 2012 realizou junto a três comunidades quilombolas um plano de desenvolvimento. “Visitamos cada comunidade e fizemos cursos. Neste plano mostramos qual seria a produção ideal para cada uma delas e a melhor forma de manejo”, informou.

A comunidade atualmente é formada por 27 famílias tem como carro chefe a produção de hortaliças (alface, salsinha, cebolinha, coentro, rúcula, repolho, almeirão), além do pimentão, tomate, berinjela, milho, mandioca e quiabo. São pelo menos oito grandes hortas que somam quase 16 hectares. A área total da comunidade é de 43 hectares.

Comercialização - Hoje, a produção da Chácara Buriti é comercializada por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Ministério do Desenvolvimento Agrário, em mercados de Campo Grande e em fazendas da região. Há três anos, os produtos também chegam à mesa de entidades filantrópicas, entre outras instituições.

Em  2012, as vendas dos produtos totalizaram R$ 105 mil, superadas neste ano com a comercialização de R$ 408,1 mil. Cada produtor pode vender até R$ 4,8 mil ao ano.Segundo a presidente da comunidade, hoje, data em que se comemora a Consciência Negra há muito que comemorar.

“Mesmo se não conseguisse este selo Quilombos do Brasil a gente tem o que comemorar. É só ver lá no início para saber o tanto que já progredimos. Já melhorou muito, mas precisamos mais”, conclui, destacando a importância dos parceiros como o Incra, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e a Conaq (Coordenação Nacional de Quilombos). Com informações assessoria.

Veja também