IPVA GOV
(67) 99826-0686

Sucessora de contratos milionários da Itel, Mil Tec herda investigações de 'bônus'

Empresários terão que prestar esclarecimentos para a Operação Coffee Break

10 SET 2016
Thiago de Souza
15h00min
Baird era dono da Itel, empresa investigada pelo MPE Foto: Foto: Arquivo

Herdeira de contratos milionários da Itel Informática, do empresário João Baird, a Mil Tec Tecnologia da Informação recebeu de ‘bônus’ as investigações da corporação, entrando na mira da Operação Lama Asfáltica, por exemplo.

Considerando a fusão entre as duas empresas, o MPE (Ministério Público Estadual) pediu à Justiça, nesta segunda-feira (5), que intime os sócios-proprietários da Mil Tec para prestar esclarecimentos no âmbito da Coffee Break, operação na qual a empresa também é investigada. 

Os citados no pedido, assinado pelos promotores Thalys Franklin de Souza, Tiago de Giulio Freire e Cristiane Mourão Leal Santos, da força-tarefa 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social, são os empresários João Baird, ex-proprietário da Itel, e o sócio dele na Mil Tec, Ricardo Fernandes de Araújo. 

Assim que incorporou a Itel, a Mil Tec assumiu todos os processos que a Itel respondia e a antiga empresa foi declarada extinta. 
Na Lama Asfáltica, Baird é acusado, entre outras coisas, de fraudar licitações de obras com o Governo do Estado. Segundo as investigações, o prejuízo para os cofres públicos é de, no mínimo, R$ 11 milhões. 

Itel e Prefeitura

A Itel Informática também mantinha contratos com a prefeitura de Campo Grande. Celebrado em 2009, o acordo teve sucessivos aditivos, com acréscimo de prazo que ia de 90 dias a 12 meses. O valor original para a prestação de serviços era de R$ 9 milhões e saltou para R$ 12 milhões em 2012.   
O contrato entre as partes foi encerrado pela própria prefeitura, no dia 18 de agosto de 2015, atendendo recomendação do MPE, já que a Itel era investigada na Lama Asfáltica.  

Conforme o Diário Oficial do MPE, outras pessoas também devem ser ouvidas, como o empresário Luiz Pedro Guimarães e Fábio Portela Machinsky, este peça-chave da operação, já que é apontado como negociador das vantagens indevidas aos vereadores, em troca de votos pela deposição do prefeito Alcides Bernal (PP). 

Ainda não viu  

O advogado do empresário João Baird, José Wanderley, disse que ainda não viu a citação do MPE e por isso não poderia opinar. Ele também não pode informar, no momento, quais outros processos que a empresa Mil Tec 'herdou' da Itel.   

Veja também