informe leilão
(67) 99826-0686

Vereadores se unem e solicitam suspensão de pedágio na BR 163

Os parlamentares acreditam que com a paralisação das obras, a continuação da cobrança é abusiva

15 MAI 2017
Dany Nascimento
12h55min
Foto: Divulgação

Dando início a uma mobilização inédita, vereadores de 21 municípios de Mato Grosso do Sul se reúnem na próxima quinta-feira (18), às 10 horas, na Câmara Municipal de Campo Grande, para demonstrar união contra a paralisação das obras de duplicação da BR-163 e impedir a cobrança abusiva do pedágio, já que o serviço não está sendo executado.

A preocupação dos parlamentares é que o prazo para duplicar esses 845 km é de cinco anos e até o momento, três anos após a assinatura do contrato de concessão, apenas 136 km foram duplicados. O objetivo da reunião, proposta pelo presidente da Casa de Leis da Capital, vereador  João Rocha (PSDB), é elaborar um documento em conjunto para ser encaminhado à ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), solicitando tomada de providências sobre a paralisação e atraso das obras de duplicação da BR-163.

"Já entramos em contato e tivemos total adesão das Casas de Leis. O Poder Legislativo não pode ficar fora dessa discussão, tenho certeza que além da obra de duplicação, cada município tem questões pontuais ainda a serem discutidas  a respeito dos desdobramentos dessa duplicação", disse parlamentar.

Confirmaram presença os presidentes de Câmaras: Jair Pereira (Bandeirantes), André Nezzi (Caarapó), Almir Avila (Camapuã), Vladimir Ferreira (Coxim), José de Souza Caminha (Douradina), Daniela Weiler Wagner Hall (Dourados), Nenny Anderson (Eldorado), Edilson Luiz (Itaquiraí), Áureo Tuim (Jaraguari), Vando Adão Claudino (Juti), Gildo Amaral (Mundo Novo), Jamil Bem Bom (Naviraí), Edir Alves Mesquita (Nova Alvorada do Sul),  Sandoval Alves de Oliveira (Pedro Gomes), Nô (Rio Brilhante), Anivaldo Moraes de Almeida (Rio Verde de Mato Grosso), Pedrinho da Isca (Rochedo), Valdecir Malacarne (São Gabriel do Oeste), Jean Nazareth (Sidrolândia) e Ezequiel Reginaldo dos Santos (Sonora).

De acordo com Rocha, "a questão é imediata, não dá pra esperar até organizarmos uma audiência pública com a presença de todos. Por isso vamos fazer essa reunião e já tomar uma providência rápida. A obra está perto de seu prazo contratual de se encerrar, mas passados mais de 3 anos, nem 17% da obra foi concluída. Neste estágio era para a obra estar 50% pronta. Vamos fazer essa reunião entre os vereadores e nela elaboraremos um documento para ser encaminhado à ANTT, a partir daí, se necessário, vamos até Brasília para ver essa situação".

 Com um fluxo de 46 mil veículos por dia, a empresa concessionária CCR MSVia cobra pedágios de até R$ 7,40, gerando renda diariamente para financiar a manutenção e duplicação da via. Tendo em vista a paralisação das obras, os vereadores buscam  junto à ANTT, a suspensão da cobrança do pedágio. Além disso, conforme dados apresentados por João Rocha, durante a sessão ordinária da última quinta-feira (11), a concessionária teve autorizado empréstimo do BNDES que somam aproximadamente R$ 2,9 bilhões.

"Hoje estamos pagando por um serviço que não está sendo executado, não está sendo entregue para a população aquilo que foi prometido. Vamos sair em defesa dos direitos dos cidadãos, que pagam o pedágio diariamente e não vêem essa duplicação sair do papel", afirma João Rocha.

A rodovia passa pelos município de Campo Grande, Mundo Novo, Eldorado, Itaquiraí, Naviraí, Juti, Caarapó, Dourados, Douradina, Rio Brilhante, Nova Alvorada do Sul, Sidrolândia, Jaraguari, Rochedo, Bandeirantes, Camapuã, São Gabriel do Oeste, Rio Verde de Mato Grosso, Coxim, Pedro Gomes e Sonora, servindo também como importante rota de escoamento comercial sul-mato-grossense.

 

Veja também