(67) 99826-0686
PMCG IPTU 2019
COLUNA

Decifrando

Por Marco Santos

Segurança Pública

É preciso fazer o mecanismo funcionar

7 DEZ 2018
Marco Santo
07h58min

Um dos pontos fortes do governo que tomará posse em 01 de janeiro próximo, é o ex juiz Sérgio Moro e a equipe que está montando para o Ministério da Justiça reformulado.

Com certeza, os resultados previsíveis estarão adiante das prosopopéias e falácias do governo atual em relação a Segurança Pública.

Alguns discursos e escolhas de atores para cargos, no entanto, preocupam. Estão na direção errada ao pivô do problema.

O diagnóstico da criminalidade é bem conhecido. 

O crime organizado é o alvo prioritário e a corrupção a maior expressão dele.

A sociedade sabe que faltam recursos, não há vagas nos presídios e o aparato de policiamento ostensivo e repressivo beira o caos na maioria dos Estados.

Avalio que seja justamente fazer  funcionar esse mecanismo de policiamento ostensivo e repressivo em sintonia com o Judiciario, o grande desafio diante do ex magistrado, dos delegados federais e do general de quatro estrelas que estão previstos para funções no  ministério em janeiro.

Esta não será tarefa fácil.

Será preciso tirar as secretarias de segurança, de defesa social e outros pomposos nomes dados pelos governadores aos sistemas policiais que comandam, das partilhas político - partidárias que até agora vigoraram.

A política partidaria tem segurado a efetividade da ação policial.

É urgente transformar os operadores de Seg Pub em um corpo técnico integrado a serviço da sociedade.

Fazer com que a atuação das polícias não estejam restritas aos pequenos delinquentes que infestam as cidades disseminando drogas e violência. Ou o cidadão para quem não falta polícia administrativa para cobrar taxas , impostos e multas.

É premente que as polícias estaduais não sejam impedidas de agir contra políticos corruptos que compõem o pior segmento do crime organizado que assola o Brasil.

Será preciso vencer os sindicatos politicamente partidarizados de  categorias policiais que, de forma retrógrada fazem dueto com governantes, produzindo a ineficiência do aparato de Seg Pub.

Notícias dão conta de possíveis nomeações de políticos fracassados em processos de reeleição e outras autoridades que integravam o aparelhamento dos atuais governos já estão sendo cogitados para quadros na Seg Pub. 

As velhas raposas rondando os galinheiros de sempre.

Será que cairemos de novo no velho adágio de que é preciso que tudo mude para ficar igual?

É preciso valorizar as Polícias, dando a elas chefias dignas e condições de trabalho.

 Claro isso não significa tolerar desvios de conduta e corrupção. Para isso é preciso conhecer as polícias .
Há autoridades que não as conhecem.

Se o mecanismo policial funcionar bem, a Seg Pub melhora.

Ninguém conhece o crime e o criminoso melhor que os policiais nas ruas e delegacias.

Muitas esperanças estão postas no novo governo.

É preciso cuidado para não frustra - las.

Marco Santos
Cel EB, professor e empresário.

Veja também