Plaenge
pmcg tjms
(67) 99826-0686

Na festa do Santo Casamenteiro, fieis vão em busca de alianças e quem sabe 'rolar um casamento'

O bolo de 21 metros de comprimento foi dividido em oito mil pedaços

13 JUN 2017
Rodson Willyams
09h36min
Foto: Rodson Willyams

Arriscar a sorte! Esse foi o sentimento de quem acordou logo cedo, nesta terça-feira (13), para enfrentar uma fila quilométrica para tentar achar uma das alianças, inclusive a de ouro, espalhada pelo bolo de 21 metros de Santo Antônio, mais conhecido como 'Santo Casamenteiro'.  

Com 100 quilos a mais em relação ao ano passado, quem pegava um dos oito mil pedaços do bolo já vasculhava para ver se tinha sido contemplada ou contemplado com uma aliança. Quem encontrava, logo a equipe da Paróquia tratava de comemorar e fazer festa. Já aqueles que não tinham sucesso, ficavam com sentimento de uma 'próxima vez'.

O TopMídiaNews esteve logo cedo na igreja de Santo Antonio e, por lá, o objetivo em comum entre os entrevistados era: "garantir um companheiro ou companheira". Mas a estratégia principal seria primeiro conquistar as alianças, e depois, a pessoa desejada, mantendo uma esperança positiva.

Animada, Stela Maris Manica, de 60 anos, comemorou ao achar uma das alianças banhada a ouro e soltou um 'agora eu caso'. Em conversa com a reportagem, Stela disse que sempre compra o bolo Santo Antônio, mas que nunca tinha tido a sorte de achar a aliança. "Agora eu achei e pode colocar aí. Estou louca pra casar", divertia-se.


Stela no momento em que achou a aliança.

Ao ser questionada se já tinha algum pretendente em vista, Stela dispara: "tenho uns paqueras. Mas acho que agora vai".

Outra que foi para casa feliz foi Lilian Ramos, de 36 anos. Separada há quatros, Lilian disse que desde então não encontrou um novo parceiro. "Mas agora acho que vai. Sou Católica e quero ter um casamento consagrado. E acredito que o meu par deve estar chegando".


Lilian solteira há quatro anos.

Por outro lado, Joeny de Souza, de 22 anos, não teve muita sorte e ficou um pouco decepcionada. "Agora eu precisava dessa aliança. Ano passado, vim aqui e consegui uma aliança, mas tinha acabado de terminar o meu relacionamento. Agora estou 'enroscada' há menos de um ano, e ela ajudaria, quem sabe, a tornar esse enrosco em algum compromisso sério".


Joeny não conseguiu achar a aliança. 

Segundo Janete Sinzato Vital, de 62 anos, uma das responsáveis pela organização do evento. O bolo de Santo Antônio é uma tradição que tem 28 anos em Campo Grande e uma simbologia muito forte. "Hoje, as pessoas vêm até aqui na expectativa para encontrar um par ideal. E vejo que isso representa muito a fé que as pessoas têm. Quem ganha sai feliz, mas quem não pega, certamente sai daqui com uma bênção, uma vez, que o bolo é benzido", finaliza.

A tradição da venda do bolo, com custo de R$ 5 cada pedaço, é antiga e leva um significado que empolga ainda mais que o sabor e a ajuda financeira à igreja, por isso as filas para garantir uma boa fatia começa a se formar nas primeiras horas da manhã. Isso porque quem achar uma aliança no meio da massa teria sorte grande em achar alguém para casar - ou acelerar o processo se já estiver comprometido. 

A chance é maior em 2017, já que são 400 alianças a mais que no ano passado. O bolo é feito de pão de ló, com recheio e cobertura de chantilly, que leva imagens do santo. São 21 metros, 1.200 kg e exatas 1.000 alianças, sendo um par de ouro. Até o momento em que a reportagem esteve lá, ninguém ainda havia achado a aliança de ouro.

Santo Antônio

Batizado de Fernando Bulhões, Santo Antônio era um frade franciscano, nascido em 1195, em Portugal, mas viveu durante a maior parte de sua vida em Pádua, na Itália. Além de ser padroeiro de Campo Grande, é considerado padroeiro dos amputados, dos animais, dos estéreis, dos barqueiros, dos idosos, das grávidas, dos pescadores, agricultores, viajantes e marinheiros; dos cavalos e burros; dos pobres e dos oprimidos.


Fila formada logo cedo.

É homenageado em celebrações de Festas Juninas e invocado para achar coisas perdidas, para conceber filhos, para evitar naufrágios e para conseguir casamento, apesar de não ter em seus sermões nada específico sobre a união de casais. Conforme a história propagada ao longo dos anos, Santo Antônio ficou conhecido como o santo que ajuda mulheres a encontrarem um marido por conta da ajuda que dava a moças humildes para conseguirem um dote e um enxoval para o casamento.

Veja também