(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

População lota sala de cinema para assistir filme de diretor sul-mato-grossense no FestCine

FestCine Vídeo América do Sul

22 NOV 2013
Carlos Guessy
09h30min
A platéia lotou a sala 1 no Cinépolis para assistir o filme Não eu. Foto: Geovanni Gomes

A garoa que caiu na noite de ontem (21) não impediu o público à comparecer e lotar a sala 1 da rede de cinemas Cinépolis. Tudo para acompanhar a grand premiere do filme 'Não Eu' no lançamento do FestCine Vídeo América do Sul, que vai reunir produções cinematográficas do Brasil e de países sul-americanos. O evento segue até 29 de novembro no Shopping Norte Sul Plaza, com exibições de filmes ao ar livre (drive-in) e também nas salas da rede.

O filme 'Não Eu', é o primeiro longa-metragem do diretor sul-mato-grossense Breno Benetti (Lados Dados, Derramado e Ana). Foram dois anos de entre estudo, produção e gravação e será o primeiro longa do Estado exibido no circuito comercial da Capital.

Há três anos o festival de cinema não é realizado e com isso, causou uma expectativa muito grande no público que compareceu em peso ao festival.

Para o ator André Tristão a linguagem sul-mato-grossense para o cinema tem tudo para dar certo “É bom ver novas produções, estou bem animado com esses últimos filmes feitos no nosso estado. Temos que valorizar, isso é daqui, é nosso”, comentou.

O festival é uma realização da ACV-MS - Associação de Cinema e Vídeo de Mato Grosso do Sul em parceria com o Governo do Estado e a Fundação Estadual de Cultura, e contará com uma programação dividida em exibições de curtas e longas metragens, mostra competitiva, mesa de debates e oficinas.

“A iniciativa é sensacional. Precisamos de mais festivais. Isso trás incentivo para as pessoas. As portas podem se abrir para o áudio visual”, enfatiza o funcionário público Carlos Diehl.

O representante da ACV ressaltou que produzir e finalizar um filme no Estado ainda é muito difícil e é uma ação que requer coragem. "O diretor teve a petulância e a coragem de finalizar um excelente trabalho, com verba irrisória e todo o desgaste que envolve o processo. Isso realmente requer coragem e determinação", disse Orivaldo Mendes Junior.

Alexandre Gardin é funcionário de uma companhia aérea e estava bem ansioso “As minhas expectativas são as melhores possíveis no ponto de vista cultural. Quero vir em todos os dias para assistir os filmes se der”, disse Alexandre.

A madrinha do FestCine

Um dos momentos mais esperado do evento foi quando a madrinha do FestCine Vídeo América do Sul, Letícia Sabatella, discursou para toda a platéia que lotava a sala de exibição.  Artista consagrada não só pelo talento, mas pelo engajamento com questões culturais e ambientais, Letícia se mostrou emocionada com a proporcionalidade que o evento pode-se tornar.

“É uma honra ser madrinha desse festival. Aceitei esse convite pela preocupação dos organizadores do evento para com o povo sul-mato-grossense. Isso me enche de orgulho e esperança. Aqui hoje estamos reunidos com dois ícones da cultura do cinema nacional, David Cardoso que faz por 50 anos de carreira e Reinaldo Paes de Barros. Estou encantada com a criatividade do cerimonial (referindo-se ao grupo Teatro Imaginário Maracangalha). Sinto que estou no lugar certo, na hora certa”, declarou a madrinha do festival.

Letícia Sabatella dirige o documentário Hotxuá, que integra a programação do FestCine. O trabalho mostra a rotina da tribo indígena krahô, de Palmas (TO). Conhecedora da polêmica questão indígena em MS, Letícia não hesitou a deixar pública sua opinião. “Fiz um documentário sobre a questão indígena no norte do País e conheço a polêmica aqui em Mato Grosso do Sul também. Temos que pensar na redistribuição de terras. Justiça tem que ser feita. Temos que ressarcir os povos indígenas”, ressaltou Sabatella.

Para uma das curadoras do FestCine, Marinete Pinheiro, o festival pode abrir novos horizontes para o Estado “Fizemos uma programação bem para o nosso povo. A intenção é abrir janelas para as produções locais”, enfatizou.

Segundo o Presidente da Fundação de Cultura de MS, Américo Calheiros, é fundamental ter esse festival em Campo Grande “O FestCine tem tudo para dar certo. Temos que descentralizar o eixo Rio-São Paulo. Nós de Mato Grosso do Sul temos muito que mostrar.”

Drive-in

A partir do dia 25 as pessoas poderão acompanhar os filmes também no Drive-in. Uma forma retrô adaptada pelos organizadores do festival em um espaço fechado no estacionamento do shopping com 80 vagas para carros. O telão será de led e sem sair do veículo a plateia ouvirá tudo sintonizando um canal específico de rádio, aberto só para o evento. Quem chegar tarde e não conseguir nenhuma das vagas destinadas ao festival no estacionamento poderá providenciar uma cadeira e ouvir o áudio pelo celular ou no radinho de pilhas.

Não é preciso pagar ingresso para entrar nas sessões, apenas o estacionamento que no Norte Sul Plaza custa R$ 3,50 a primeira hora e R$ 0,50 cada hora adicional. No Cinépolis, as exibições dos filmes do festival serão gratuitas. Quem aparecer, receberá um questionário para votar nos melhores filmes ao serem premiados no último dia de festival.

Serão 2 filmes exibidos por noite, sempre às 20h ou 19h, no total de 16 curtas e 11 longas metragem.

Veja a programação completa do festival:

21/11 Quinta / Cinépolis

21h - Não Eu – Breno Benetti

24/11 Domingo / Cinépolis

19h - Ela Veio Me ver – Essi Rafael

Curta MS (16min)

O Som ao Redor – Kleber Mendonça Filho

Brasil - Longa-metragem (135min)

 

25/11 Segunda / Cinépolis

20h – Do Sul, Mato Grosso do Sul – Fábio Flecha

Brasil - Curta MS (18min)

Amigos – Lina Chamie

Brasil - Longa-metragem (89min)

 

25/11 Segunda / Drive – in

19h – Maria Fumaça, Chuva e Cinema – David Cardoso

Brasil - Curta MS (15min)

O Caso de Joanita – Reynaldo Paes de Barros

Brasil - Curta MS (30min)

20h– Infância Clandestina – Benjamin Ávila

Argentina - Longa-metragem (110min)

21:50h– Psicoses de um homem – Wilyan Nicolay

Brasil - Curta MS (15min)

Filme para poeta cego - Gustavo Vinagre

Brasil - Curta sul-americano (25min)

 

26/11 Terça / Cinépolis

20h – O Florista – Filipi Silveira

Brasil - Curta MS (18min)

Uma História de Amor e Fúria - Luiz Bolognesi

Brasil - Animação longa-metragem (75min)

 

26/11 Terça / Drive-in

19h – Sonho - Rafael Abarca

Peru - Curta sul-americano (2min)

Refém – Rogério Castilho e Guedes Junior

Brasil - Curta MS (4min)

Role # 2 – Rafael Mareco

Brasil - Curta MS (5min)

Corixo: A Mulher de Branco – Marcelo Moreira Santos

Brasil - Curta MS (15min)

O bebê de Maria - Miguel Horta

Brasil - Curta-MS (19min)

20h – Las Acacias –Pablo Giorgelli

Argentina - Longa metragem (85min)

21:30h – Hotxuá - Letícia Sabatella

Brasil - Documentário (70min)

 

27/11 Quarta / Cinépolis

20h – Hydrochoeruspaedia 3D–Hélio Godoy,Ludger Pfanz

Brasil - Curta MS (5min)

Smile – Camila Machado e Steffany Santos

Brasil - Curta MS (8min)

Wakolda – Lucia Puenzo

Argentina - Longa metragem (93min)

 

27/11 Quarta / Drive-in

19h – Memórias de Luz – Farid Fahed

Brasil - Curta-metragem MS (6min)

It's in your Eyes - Sergio Garcîa Locatelli,Sean Schoenecker

Peru - Curta sul-americano (6min)

El Revés - Gonzalo Perdomo

Peru - Curta sul-americano (7 min)

Projeto Big Fun - O Filme – Gabriela Silva Dias

Brasil - Curta MS (7min)

Sanda - O Box Chinês – Ulísver Silva

Brasil - Curta MS (8min)

Etá – Alan Caferro

Brasil - Curta MS (10min)

20h – Honra – Alexandre Couto

Brasil - Longa metragem MS (128min)

22h – Red Hookers – Larissa Anzoategui

Brasil - Curta MS (18min)

 

28/11 Quinta / Cinépolis

19h – Olho Nú – Joel Pizzini

Brasil - Documentário (101min)

21h –Tatuagem – Hilton Lacerda

Brasil - Longa-metragem (110min)

 

28/11 Quinta / Drive-in

19h – Carmo - Murilo Pasta

Brasil - Longa-metragem (98min)

21h – Gigante – Adrian Biniez

Uruguai - Longa-metragem (90min)

 

29/11 - Sexta / Drive-in

19h – Smile – Camila Machado e Steffany Santos

Brasil - Curta MS (8min)

Ela Veio Me ver – Essi Rafael

Brasil - Curta MS (16min)

O Florista – Filipi Silveira = 18min

Brasil - Curta MS (18min)

Do Sul, Mato Grosso do Sul – Fábio Flecha

Brasil - Curta MS (18min)

20h – No – Pablo Larraín

Chile - Longa-metragem (115min)   

A platéia lotou a sala 1 no Cinépolis para assistir o filme Não eu. Foto: Geovanni Gomes
A platéia lotou a sala 1 no Cinépolis para assistir o filme Não eu. Foto: Geovanni Gomes
A platéia lotou a sala 1 no Cinépolis para assistir o filme Não eu. Foto: Geovanni GomesOrivaldo Mendes Júnior, Presidente da Associação de Cinema e Vídeo de MS. Foto: Geovanni G.Foto: Geovanni GomesFoto: Geovanni GomesMarinete Pinheiro, uma das curadoras do FestCine. Foto: GGOrivaldo Mendes Jr. com a atriz e diretora Letícia Sabatella na coletiva à imprensa. Foto: GGAs pessoas sentaram na escada para acompanhar a premiere do filme Não eu. Foto: GG

Veja também