Corrida Cassems
(67) 99826-0686

Projeto de Acessibilidade da Biblioteca Isaias Paim vai a escolas de Aquidauana na próxima segunda

Projeto consiste em exibir filmes nacionais com audiodescrição e legendas descritivas em escolas e instituições filantrópicas

15 SET 2017
Da Redação
11h29min
Foto: Divulgação

Quatro escolas e uma Associação de Pais e Mestres do município de Aquidauana vão receber o projeto de acessibilidade da Biblioteca Estadual Isaias Paim na próxima segunda-feira, dia 18 de setembro. O projeto consiste em exibir filmes nacionais com audiodescrição e legendas descritivas em escolas e instituições filantrópicas.

Alunos das escolas estaduais Cândido Mariano, Coronel José Alves Ribeiro, Felipe Orro, Dóris Mendes Trindade e integrantes da Associação de Pais e Mestres da Escola Estadual Dóris Mendes Trindade, de Aquidauana, vão participar na próxima segunda de sessões de cinema com recursos de acessibilidade.

O pedido partiu da Fundação de Cultura de Aquidauana: “Temos grande interesse que esse projeto venha nos contemplar, pois nosso objetivo é proporcionar aos aquidauanenses acesso gratuito aos produtos culturais”.
A audiodescrição permite aos deficientes visuais o recebimento da informação contida na imagem, possibilitando o entendimento de toda a obra, seguindo a trama e captando a subjetividade da narrativa. Assim como na legenda descritiva, que possibilita aos deficientes auditivos, por meio das imagens e legendas descritivas, o acesso à captação da narrativa com êxito.

O projeto colabora também para cumprir uma obrigatoriedade prevista na Lei nº 13.006, que acrescenta às Diretrizes e Bases da Educação Nacional a exibição de filmes de produção nacional nas escolas de educação básica. Por meio de parcerias com as instituições a Biblioteca terá meios de atingir o objetivo de garantir acessibilidade e também constituir componente curricular complementar integrado à proposta pedagógica.

“É importante que façamos esse intercâmbio com relação à educação, já que lidamos no âmbito escolar com alunos que precisam destes recursos acessíveis, assim possibilitando a igualdade e informação para todos”, avalia a gestora Eleuzina Crizanto.

Veja também