TJMS - Setembro
(67) 99826-0686

Após paralisação, média do preço do diesel é só 22 centavos menor na Capital

Valor ao consumidor é menor que a metade da redução estipulada pelo governo federal

14 JUN 2018
Amanda Amaral
19h00min
Foto: Wesley Ortiz/Arquivo TopMídiaNews

Quase dez dias desde o fim da paralisação dos caminhoneiros em todo o país, as garantias da redução do preço do diesel não se mantêm na realidade dos postos de combustíveis em Mato Grosso do Sul. Em Campo Grande, o preço médio do diesel comum antes de 20 de maio era de R$ 3,667 e, hoje, é registrado em 3,442.

A queda de 22 centavos, nesta média, apontada por levantamento da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível) é menor que a metade da redução estabelecida pelo governo federal como medida para atender os caminhoneiros e demais consumidores, que seria R$ 0,46 por litro.

Também, não parece surtir os efeitos diminuição a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 17% para 12%, implementada pelo governo de Mato Grosso do Sul e em vigor desde 6 de junho. O levantamento do órgão nacional abrange o período entre 3 e 9 de junho.

O diretor da ANP, Aurélio Amaral, explicou à agência de notícias Reuters que isso ocorre porque nem todos no setor de combustíveis tiveram acesso à subvenção realizada pelo governo federal, já que muitos estoques com preços antigos ainda não foram totalmente consumidos.

Foram pesquisados preços em 57 postos de combustíveis de todo o Estado, em sete municípios, sendo eles Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas. Na Capital, foi registrado o menor preço, de R$ 3,279, e em Três Lagoas o maior, de R$ 4,199 por litro.

Apesar da insatisfação dos caminhoneiros com os novos preços do combustível, a notícia de uma nova paralisação é falsa. A categoria afirma que viu algumas notícias sobre um novo movimento, mas nada foi oficialmente acordado. Mesmo descontentes, os trabalhadores afirmam que ainda não pretendem iniciar uma nova greve.

Veja abaixo a última lista divulgada pela ANP:

Veja também