Plaenge
pmcg tjms
(67) 99826-0686
cidade natal pmcg

Após transporte, campo-grandenses podem se preparar para reajuste na conta da água em janeiro

Correção será com base no INPC e foi confirmado por secretário municipal

1 DEZ 2017
Rodson Willyams
07h00min
Foto: Arquivo TopMidiaNews

A conta de água pode ficar mais cara para os campo-grandenses já a partir de janeiro de 2018. A concessionária responsável pelo serviço, Águas Guariroba, encaminhou proposta que deve ser analisada pela Agereg (Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos) ainda neste mês.

Segundo o diretor-presidente da Agereg, Vinícius Leite Campos, a proposta deve ser analisada até o final deste ano. "Ela deve ser publicada 30 dias antes de entrar em vigor, no Diário Oficial. Então, nós temos que analisar a proposta até dezembro".

Como os índices ainda estão sob discussão, Campos preferiu não comentar, mas afirmou que o contrato é corrigido pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). "Nós também estamos aguardando fechar outros índices de novembro", finalizou.

Fim da taxa mínima

O prefeito Marquinhos Trad, do PSD, anunciou em outubro deste ano, que deve determinar a redação da tarifa mínima de água pela metade em 2018, e a extinção em janeiro de 2019. A partir de janeiro de 2018, a tarifa mínima, que hoje é de R$ 75 cobrados para o consumo de 0 a 10m³ de água, só poderá ser cobrada para o consumo de até 5m³ de água, com valor estimado em R$ 40, já considerando o reajuste contratual da Águas Guariroba (em valores de hoje, a tarifa seria reduzida para R$ 35).

Já a partir de janeiro de 2019, a tarifa será extinta totalmente e os campo-grandenses vão pagar apenas por aquilo que consumirem exatamente. É o que o prefeito classifica como “justiça tributária social”. “É um compromisso meu de carreira política, sempre estive lutando pelo consumidor. Ninguém mais vai pagar por aquilo que não consumir”, disse Marquinhos na ocasião.

 

Veja também