(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Bancários entram em acordo com Fenaban e greve pode chegar ao fim

Greve Bancários

11 OUT 2013
Aline Oliveira
08h25min
Fotografia: Giovanne Gomes

Na noite da última quinta-feira (10), bancários e instituições financeiras chegaram a um acordo que pode por fim a greve da categoria. A paralisação que completa 23 dias foi considerada a mais longa desde 2004.

Segundo informações do comando da greve em São Paulo, as instituições financeiras elevaram de 7,1% para 8%, representando aumento real de1,82%. O piso salarial terá aumento de 8,5% (ganho real de 2,29%), contra a proposta inicial dos bancos de 7,5%. Os representantes informaram que o ponto mais difícil da discussão foi a compensação dos dias parados na mobilização.

Os bancos exigiam que todos os dias de paralisação fossem compensados num período de 180 dias, mas, a proposta final foi de que os funcionários fiquem uma hora a mais por dia no trabalho até 15 de dezembro. Também foi acertado aumento de 10% sobre a parcela fixa da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e uma elevação de 2% para 2,2% no percentual de lucro que deve ser distribuído pelos bancos.

Falta agora que a nova proposta seja aprovada nas assembleias de todo país. Segundo a presidente dos bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, "o Comando avalia que a proposta tem avanços nas principais reivindicações dos bancários e por isso, vamos indicar a aprovação em assembleias", declarou.

Dicas - O Procon/SP informou que diante do cenário de greve, as empresas são obrigadas a oferecer outro local para pagamento de contas. Caso o fornecedor se recuse a disponibilizar uma alternativa, o cliente deve aumentar sua tentativa e registrar uma reclamação junto ao órgão.

 

Veja também