re9
lalu kids
(67) 99826-0686

Bovespa fecha em leve alta com fraco volume e foco nos EUA

Os números melhores nos Estados Unidos reforçam a possibilidade de alta nos juros americanos, o que não favorece os mercados emergentes

23 NOV 2016
Uol
18h33min
Foto: Bovespa

O dia foi de fraco volume de negócios no Ibovespa, que movimentou R$ 5,6 bilhões, e fechou com leve alta de 0,05% aos 61.986 pontos, depois de ter caído 1,16% durante o dia. De acordo com operadores, a véspera do feriado nos Estados Unidos, dia de Ação de Graças, deixou o mercado financeiro com menos liquidez e sem uma direção clara.

Segundo profissionais da área, a queda do índice foi um movimento de correção de preços depois de três sessões consecutivas de alta no Ibovespa. O desempenho negativo do mercado foi reforçado pela divulgação dos dados de encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos, que subiram 4,8% em outubro, ante expectativa de alta de 2,7%.

Os números melhores nos Estados Unidos reforçam a possibilidade de alta nos juros americanos, o que não favorece os mercados emergentes. A uma hora do fechamento da bolsa de valores, o Fed, banco central americano, divulgou a ata da última reunião de política monetária.

No documento, os membros do Fed afirmaram que uma alta nas taxas de juros americanas em dezembro é necessária para preservar a credibilidade da autoridade monetária. Eles consideraram que uma alta das taxas de juros é apropriada "relativamente em breve".

"A ata ficou em linha com o que o mercado financeiro esperava, que é uma alta de juros em dezembro", diz Ari Santos, gerente de mesa Bovespa, da H.Commor DTVM. As dúvidas dos investidores são sobre a magnitude e intensidade dessa elevação dos juros. "A ata não trouxe nenhuma pista sobre qual vai ser a elevação dos juros", diz Raphael Figueredo, analista da Clear Corretora. Mas, segundo ele, os dirigentes do Fed têm sido enfáticos nos discursos ao afirmar que quando tiver início o aperto monetário ele deverá ser gradual.

Entre as ações mais negociadas, os destaques de alta ficaram com os papéis das companhias produtoras de commodities metálicas. As ações preferenciais da Gerdau Metalúrgica subiram 7,98%, os papéis PNA da Usiminas ganharam 7,60%, as ações ordinárias da CSN subiram 6,67% e os papéis ordinários da Fibria tiveram alta de 2,71%. O minério de ferro no porto de Qingdao, na China, subiu 1,5%, para US$ US$ 75,20 a tonelada. As ações da Vale subiam e os papéis PNA da companhia tiveram alta de 1,29%. As ações ordinárias subiram 1,44%.

Na ponta oposta, as maiores quedas do dia ficam com os papéis ordinários da Qualicorp, com baixa de 6,13%, os papéis ordinários da Smiles com queda de 4,42% e as ações PNA da Braskem caíram 3,63%. As ações da Braskem, cujos controladores são a Odebrecht e a Petrobras, podem ser atingidas pela delação dos executivos da Odebrecht no âmbito da Operação Lava-Jato.

Os papéis da Petrobras tiveram comportamento distinto. As ações preferenciais caíram 0,50% e os papéis ordinários subiram 0,62%. Os contratos de petróleo WTI com vencimento em janeiro fecharam com queda de 0,2% a US$ 47,96, o barril.

O preço do petróleo tem oscilado à espera da reunião da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), no dia 30 de novembro, em Viena, na Áustria, para sacramentar o acordo de corte na produção. O Iraque junto com o Irã está relutante em diminuir a própria produção, embora tenha apoiado a iniciativa da Opep.

Veja também