(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Empresas de empréstimo pessoal se multiplicam na Capital e preocupam especialistas

Economia

17 OUT 2013
Aline Oliveira
15h04min
Fotografia: Giovanne Gomes

Um segmento que vem demonstrando crescimento expressivo em Campo Grande e no Estado são as lojas de crédito pessoal.  No entanto, o consumidor deve estar atento quando for a um destes locais e pesquisar antes, o tempo de funcionamento e as instituições bancárias que possuem parceria com a empresa.

Quem faz a afirmação é o gerente da rede Hora Cred, Michel Franco. A empresa está em funcionamento há 7 anos, com sete filiais no Estado, sendo uma em Cuiabá (MT) e emprega 74 funcionários. “ Nossa empresa é familiar e escolhemos trabalhar com empréstimo por verificar que existia uma demanda de clientes que buscavam o serviço. Naquele tempo existiam poucas empresas e predominava a figura do corretor”, explicou.

Franco destacou que o alto comissionamento pago pelos Bancos atraiu muita gente, porém, analisa que hoje o segmento está saturado. As mudanças econômicas impostas pelo Banco Central (BC) também foram motivo para diminuir investimentos em novas lojas. “ Antes, as comissões eram pagas à vista aos empresários, independente do parcelamento escolhido pelo cliente, porém a resolução do BC mudou isso e a comissão será paga de acordo com o número de parcelas da contratação de crédito”.

O empresário acredita que as empresas que trabalharem com profissionais treinados e com atendimento irrepreensível ao público conseguirão se manter no mercado. “O cenário é preocupante, com as mudanças econômicas impostas pelos bancos, muitas empresas poderão fechar as portas. Nós buscamos estes diferenciais e trabalhamos com instituições de renome como o Bradesco, BMG e Banco do Brasil”, argumentou.

Um alerta feito pelo gerente é que a população fique atenta com operações ilegais que podem ser vitimas. “Os aposentados e pensionistas são os mais visados por empresas que agem de má-fé, divulgando propagandas enganosas ou mesmo formalizando vários contratos em nome do cliente”, alertou.

Veja também