(67) 99826-0686

MS lidera ranking de liberdade econômica do país, segundo pesquisa do Mackenzie

Na prática, significa que no Brasil, Mato Grosso do Sul é o que tem menos intervenção do Estado na economia

13 NOV 2017
Semagro
14h31min
Foto: Semagro

Mato Grosso do Sul desponta como o primeiro no ranking dos estados brasileiros com maior nível de liberdade econômica, em 2015. O Índice de Liberdade Econômica de cada estado foi analisado e o resultado publicado pelo Centro Mackenzie na última semana.

Na prática, significa que no Brasil, Mato Grosso do Sul é o que tem menos intervenção do Estado na economia, baseado em um conjunto de dimensões que analisaram os gastos públicos, tributação e mercado de trabalho.

Os números são resultados da metodologia do Fraser Institute, um índice inédito no Brasil e que ajuda a avaliar as condições de se empreender e ter sucesso no mercado e o grau a interferência estatal. Ele mede como as medida as políticas dos Estados foram, em 2015, capazes de apoiar a liberdade econômica, a capacidade dos indivíduos agirem na esfera econômica sem restrições indevidas.

Mato Grosso do Sul aparece na categoria dos estados mais livres, junto com outros cinco. Sendo São Paulo, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco e Pará. O coordenador do Centro Mackenzie de Liberdade Econômica, Vladimir Fernandes Maciel, explica que o nível Brasil é muito ruim, mas com em nível de estados há uma grande diversidade dentro do país.

Além disso, Vladimir afirma que mesmo os estados que apresentam um bom desempenho ainda têm muito espaço para desenvolver e melhorar. O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, destaca que o índice mostra que a economia sul-mato-grossense se destaca em termos de desenvolvimento.

“Dentro da Semagro, desde o início do governo trabalhamos para evoluir economicamente o Estado, desburocratizando e facilitando a expansão dos negócios e atração de novos investimentos. Foi dessa forma que passamos a ser o melhor destino brasileiro dos investimentos”, destacou o secretário.

Veja também